Tempo
|
A+ / A-

INEM licenciou mais de 500 desfibrilhadores para utilização em espaços públicos em 2020

05 mar, 2021 - 21:10 • Lusa

Sobe para 2.681 o número dos equipamentos disponíveis no país para situações de paragem cardiorrespiratória.

A+ / A-

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) licenciou mais de 500 desfibrilhadores para utilização em espaços públicos em 2020, elevando para 2.681 o número dos equipamentos disponíveis no país para situações de paragem cardiorrespiratória.

Segundo anunciou o INEM esta sexta-feira, foram licenciados, em 2020, 494 novos programas de Desfibrilhação Automática Externa (DAE), abrangendo 509 equipamentos e 3.337 operacionais certificados para a sua utilização.

“Estes números representam um incremento da capacidade de resposta da sociedade a eventuais casos de paragem cardiorrespiratória em locais públicos”, adiantou o INEM em comunicado.

De acordo com o organismo responsável pela emergência médica, em 2020, foi necessário recorrer a desfibrilhadores em locais públicos em 8.822 situações, tendo o equipamento recomendado a administração de pelo menos um choque em 711 dessas utilizações, o que é “demonstrativo de um número significativo de vidas salvas pela utilização do DAE”.

No total, existem em Portugal 2.343 programas licenciados pelo INEM, o que representa um total de 2.681 equipamentos colocados em espaços públicos e 25.244 operacionais formados para os utilizar.

Antes de os DAE serem instalados em espaços públicos, os programas têm de ser licenciados pelo INEM, a quem cabe garantir que a sua eventual utilização é feita por um operador treinado e certificado, atuando por delegação médica.

A partir de 2012 passou a ser obrigatória a instalação de equipamentos de DAE em locais de acesso público que cumpram determinados requisitos, caso de estabelecimentos comerciais de maior dimensão, aeroportos e portos comerciais, estações ferroviárias, de metro e de camionagem com fluxo médio diário superior a 10 mil passageiros e recintos desportivos, de lazer e de recreio com lotação superior a 5 mil pessoas.

Segundo o INEM, “são cada vez mais as entidades” que, mesmo não tendo a missão prioritária de prestar a assistência médica pré-hospitalar, solicitam o licenciamento de programas de DAE, como é o caso da GNR.

“A Guarda Nacional Republicana de Faro iniciou recentemente o processo de licenciamento com vista à colocação destes equipamentos em onze viaturas dos seus postos territoriais”, exemplificou.

De acordo com o INEM, Portugal conta ainda com mais de 1.200 viaturas de emergência médica pré-hospitalar equipadas com aparelhos de DAE, nomeadamente os meios do INEM e dos parceiros do Sistema Integrado de Emergência Médica, como é o caso dos Bombeiros e da Cruz Vermelha Portuguesa, o que “representa mais uma garantia de acesso à desfibrilhação a quem dela precise”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+