A+ / A-

Pandemia

Covid-19. Costa reunido com ministros sobre eventual encerramento das escolas

20 jan, 2021 - 22:41 • Redação

Primeiro-ministro reunido em videoconferência com Marta Temido, Mariana Vieira da Silva, Tiago Brandão Rodrigues e Manuel Heitor para preparar o Conselho de Ministros desta quinta-feira de onde sairá a decisão quanto ao encerramento ou não dos estabelecimentos de ensino.

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, está reunido por videoconferência com as ministras da Saúde, Marta Temido, de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva e com os ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e do Ensino Superior, Manuel Heitor.

A informação é avançada pela RTP.

Antonio Costa está a analisar a informação reclhida pelos epidemiologistas e a preparar o Conselho de Ministros desta quinta-feira, de onde sairá uma decisão sobre um eventual encerramento das escolas, face ao agravamento dos números da pandemia em Portugal.

Esta quarta-feira, o Presidente da República afirmou que o Governo vai ponderar o eventual encerramento das escolas, podendo tomar uma decisão antes da sessão alargada com epidemiologistas marcada para terça-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa falava perante cerca de 50 alunos no auditório da Escola Secundária Pedro Nunes, em Lisboa, numa ação de campanha como candidato às eleições presidenciais do próximo domingo.

Segundo o chefe de Estado, o Governo irá ponderar "se se deve esperar até à sessão com os epidemiologistas marcada para terça-feira" para tomar uma decisão sobre a manutenção ou não da abertura de escolas, devido à pandemia de covid-19.

"É uma questão que se vai colocar entre hoje e amanhã [quinta-feira] - não foi antes porque o primeiro-ministro não está em território português", acrescentou, referindo que António Costa regressa hoje de Bruxelas, onde esteve a apresentar o programa da presidência portuguesa da União Europeia.

Marcelo Rebelo de Sousa apontou como "dados adicionais relevantes" a ter em conta nessa decisão o crescimento de casos em Portugal da "variante britânica" do novo coronavírus e a "disseminação social nas escolas".

"É essa a ponderação muito serena que tem de se fazer", afirmou.

[em atualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Rodrigues-Lopes Rodrigues-Lopes
    21 jan, 2021 Viseu 00:42
    Fechar as escolas?! É o que se impõe fazer, e já! É um imperativo categórico! Os Pais são os devidos e naturais educadores das crianças que têm o futuro na frente! Se os pais não podem...que o estado os ajude, o estado ganha dinheiro e poupam-se vidas com essa decisão. Acabe-se com o "chavão" de dúvida que as crianças não recuperem. Vão esses adultos, senhor Ministro da Educação, aprender o que é a aprendizagem e o desenvolvimento da criança. O estado decida-se a investir, a sério, depois, da paragem das aulas e da pandemia, para acabar com as desigualdades das oportunidades das crianças que precisem! Senhor Ministro tenha coragem! É uma decisão lúcida! Opiniões haverá muitas até de "ditos" especialistas em educação, ...mas a decisão a quem compete ter a lucidez para o fazer. Quando o barco pode ir ao fundo...só decide que deve!

Destaques V+