Tempo
|
A+ / A-

Bebé Rodrigo. PGR esclarece que inquérito ao médico não está concluído

12 jan, 2021 - 19:01 • Marina Pimentel

Contactado pela Renascença, o gabinete da procuradora-geral da República desmente notícias divulgadas esta terça-feira.

A+ / A-

O gabinete da Procuradora-Geral da República (PGR) desmente que esteja concluído o inquérito criminal contra Artur Carvalho, o obstetra envolvido no caso de Rodrigo, o bebé que nasceu sem rosto no Hospital de São Bernardo, em Setúbal.

De acordo com notícias da imprensa desta terça-feira, o inquérito contra o médico estaria concluído, sendo Artur Carvalho acusado de ter violado expressamente todas as regras médicas.

Contactado pela Renascença, o gabinete de Lucília Gago garante, no entanto, que a investigação criminal ainda está em curso.

Consequentemente, o despacho final não foi ainda proferido, adianta a Procuradoria-Geral da República.

O bebé Rodrigo nasceu em 7 de outubro de 2019 no Hospital de São Bernardo, do Centro Hospitalar de Setúbal, com várias malformações graves, como falta de olhos, nariz e parte do crânio, sem que o médico Artur Carvalho, que realizou as ecografias de acompanhamento da gravidez, tivesse detetado ou sinalizado aos pais qualquer problema.

O obstetra que realizou as ecografias numa unidade privada, a Ecosado, tinha 14 queixas em averiguação na Ordem dos Médicos em dezembro.

O caso do bebé sem rosto levou logo à abertura de um inquérito por parte do Centro Hospitalar de Setúbal, para apurar se foram efetuados corretamente todos os procedimentos no parto do bebé.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+