Tempo
|
A+ / A-

Web Summit 2020

“O digital vai mudar a geografia e tornar a Europa mais coesa”, diz Elisa Ferreira

02 dez, 2020 - 20:12 • Manuela Pires

A comissária europeia da coesão e reformas Elisa ferreira participou esta tarde na Web Summit num debate sobre “uma europa mais coesa”.

A+ / A-

Todas as notícias sobre a Web Summit


A comissária europeia da coesão e reformas acredita que a digitalização e a conectividade vão tornar a europa mais coesa. Numa conferência na Web Summit, que este ano é exclusivamente virtual, Elisa Ferreira referiu que a pandemia da Covid-19 veio mostrar isso mesmo.

A comissária europeia garantiu que “tornar a Europa mais coesa é fazer com que nenhum cidadão ou região fiquem para trás” e a tecnologia pode ajudar a quebrar essas barreiras. “Na Europa, a digitalização e conetividade pode redesenhar a dependência na geografia e torná-la menos relevante enquanto determinante do sucesso das regiões e das pessoas em função da região em que nascem”, referiu Elisa Ferreira.

A comissária europeia acrescentou ainda que um dos objetivos da política de coesão é preencher aquilo a que chamou “as falhas de mercado” porque “as empresas privadas concentram-se onde há mais pessoas, mas o nosso propósito é que todo o território europeu esteja coberto, para que aqueles que nasceram por acidente numa determinada região não fiquem para trás” disse Elisa Ferreira.

A comissária europeia falou ainda sobre o novo Fundo para uma Transição Justa é um instrumento importante no âmbito do maior Pacto Ecológico Europeu.

Elisa Ferreira garantiu que a comissão vai canalizar fundos para “as regiões que dependem exclusivamente, ou quase, do carvão e onde existem indústrias que emitem grandes quantidades de carbono. É um instrumento específico para essas regiões poderem fazer a transição sem grandes custos económicos e sociais” concluiu a comissária europeia Elisa Ferreira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+