Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

​Greve de enfermeiros. Administradores hospitalares prevêem perturbações “marginais”

09 nov, 2020 - 11:10 • Beatriz Lopes , Cristina Nascimento com Lusa

Siindicato que convocou a greve garante que não se assistirá a uma guerra de números e que muitos profissionais vão fazer greve a trabalhar.

A+ / A-

Veja também:


Os administradores hospitalares preveem que a greve dos enfermeiros tenha pouco impacto na prestação dos cuidados de saúde.

Ouvido pela Renascença, o dirigente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares espera que não haja perturbações na vida dos utentes e no tratamento de doentes Covid.

“A expectativa que nós temos é que as perturbações no funcionamento das instituições que passem pela greve sejam marginais. Nós temos a certeza que existe um compromisso dos profissionais de saúde nesta fase e sempre para responder aos seus doentes e não deixar os doentes por tratar”, afirmou Eduardo Castela.

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros Portugueses convocou uma paralisação a partir desta segunda-feira e por um período de cinco dias. Exigem melhores condições de trabalho, o pagamento de um subsídio de risco e a entrada de mais enfermeiros para o Serviço Nacional de Saúde.

Eduardo Castela diz que a associação compreende o descontentamento. “Sabemos as difíceis condições de trabalho que os enfermeiros enfrentam e, aliás, temos alertado para a preparação e planeamento de recursos para esta segunda vaga”, acrescenta.

Greve em tempo de pandemia e a trabalhar

O presidente do Sindepor considera que a greve de enfermeiros que agora arranca "não é uma guerra de números" e que muitos estarão em greve, mas a trabalhar, "para não fragilizar mais o Serviço Nacional de Saúde".

Em declarações à Lusa, Carlos Ramalho disse que os números da adesão à greve "são muito relativos" pois não se conseguem apurar porque não é possível formar piquetes de greve como acontece noutras greves, devido à impossibilidade de circular entre serviços de saúde, por causa da pandemia de Covid-19.

"Não podemos formar os piquetes de greve que formávamos em condições normais pois não é conveniente circular entre serviços para apurar esses dados", explica o presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), sublinhando que "muitos enfermeiros vão estar em greve, mas a trabalhar".

"Assegurar serviços mínimos agora significa assegurar quase serviços máximos durante períodos de não greve por causa da dotação de enfermeiros, que cada vez são menos. Normalmente associa-se a greve à não comparência ao local de trabalho, mas muitos têm de comparecer para assegurar serviços mínimos. É mais um grito de protesto e um anúncio de descontentamento do que algo que interfira com o SNS, que já de si está fragilizado e que nós não queremos fragilizar ainda mais", afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vasco Valente
    10 nov, 2020 Porto 09:24
    Que falta de vergonha na cara. Assim esconde a falta de adesão a esta "greve" incentivada pelo PSD e pela Ordem. Uma greve em que se continua a trabalhar não tem resultados positivos para ninguém a não ser para os chefes, que não têm de pagar o dia.
  • lv
    09 nov, 2020 Loures 14:44
    So gajas e gajos de má fama,sem caracter, fazem greve numa altura destas. de profissionais...ZERO!

Destaques V+