Tempo
|
A+ / A-

Aborto. Menos 40% durante a pandemia

03 out, 2020 - 10:35 • Redação

Nos últimos anos, o decréscimo tem sido constante, no entanto, estes últimos dados revelam uma queda muito abrupta. A pandemia explicará uma parte significativa do fenómeno.

A+ / A-

O número de Interrupções Voluntárias da Gravidez (IVG) realizadas em Portugal entre março e junho registou um decréscimo de 40% face ao mesmo período de 2019 noticia este sábado o Expresso.

O semanário recorre a dados do Ministério da Saúde que juntam o SNS e os privados. Estes valores seguem a tendência dos últimos anos de decréscimo das IVG por opção da mulher nas primeiras dez semanas de gravidez.

Em relação aos mesemos meses do ano passado, os números revelam uma diminui­ção global de 40%. O Expresso revela ainda que o mês em que foram realizadas menos IVG foi maio (-55,3%), seguido de junho (-53,7%).

Na mesma notícia, descreve-se ainda que o comportamento do Sistema Nacional de Saúde não foi igual em todo o país. Houve locais em que a consulta para a realização de IVG foram interrompidas, como no Hospital Santa Maria, em Lisboa.

Neste caso em concreto, quem procurou a unidade foi encaminhado para o privado, ao abrigo do protocolo do SNS.

A DGS garantiu ao semanário que “durante a pandemia os serviços de interrupção de gravidez foram assegurados dentro dos prazos legais”. A autoridade de saúde sublinha, contudo, que “algumas instituições públicas tiveram de contratualizar temporariamente com privadas para dar resposta atempada às utentes em período com menos recursos”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+