Tempo
|
A+ / A-

Incêndios. “Ajudar Portugal neste momento é uma prioridade para a UE"

14 ago, 2017 - 11:25

O Mecanismo de Protecção Civil da UE foi accionado pela segunda vez este ano no sábado, dia em que o número de incêndios quase chegou aos 270.

A+ / A-

Aviões, veículos e bombeiros são os meios mobilizados para Portugal no âmbito da ajuda pedida à União Europeia (UE).

“Ajudar Portugal neste momento é uma prioridade para a UE. Agradeço a Espanha por disponibilizar apoio rapidamente. Este é um exemplo da solidariedade europeia no seu melhor”, afirmou esta segunda-feira o comissário europeu para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, Christos Stylianides.

Segundo um comunicado da Comissão, Espanha ofereceu mais de 120 bombeiros, 27 veículos e três aviões de combate a incêndios.

Portugal tem, nesta segunda-feira de manhã (11h30), seis incêndios activos, três dos quais mais preocupantes: em Vila de Rei, Coimbra e Ferreira do Zêzere. Em Alvaiázere, o fogo está dominado, mas ainda mobiliza 289 operacionais.

“Deixem-me louvar todos os que estão a combater este flagelo, em Portugal e em toda a Europa. Estão a enfrentar um Verão muito difícil e a sua dedicação e coragem são um exemplo para todos”, disse Christos Stylianides.

“O nosso Centro de Coordenação de Resposta de Emergência em Bruxelas, que monitoriza permanentemente os desastres naturais, está em constante contacto com as autoridades de Protecção Civil portuguesas e segue todos os desenvolvimentos”, garantiu ainda o comissário europeu.

Portugal accionou o Mecanismo de Protecção Civil da UE no sábado, a segunda vez desde os fatídicos incêndios de Junho, no centro do país. Através deste mecanismo, a Comissão Europeia oferece o co-financiamento de 85% dos custos de transporte aos países que oferecem apoio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ABRANTES
    14 ago, 2017 LX 15:40
    QUE TRISTEZA DE PAÍS E DE GOVERNANTES. SABENDO QUE OS INCÊNDIOS SÃO UM PROBLEMA CRÓNICO EM PORTUGAL E QUE O VÃO CONTINUAR A SER SE NADA FOR FEITO COM CABEÇA, EM VEZ DE COMPRARMOS AVIÕES DE COMBATE AOS INCÊNDIOS, ANDAMOS A COMPRAR SUBMARINOS (QUE DE FACTO SERVIRAM PARA AFUNDAR O PAÍS AINDA MAIS) E A PEDINCHAR AJUDA AOS OUTROS EUROPEUS. PAÍS QUE NÃO GANHA VERGONHA NA CARA.
  • Aurélio
    14 ago, 2017 Feteiras 14:45
    Afinal a União sempre ajuda alguma coisa, mas continua a haver quem não goste.
  • CARDOSO
    14 ago, 2017 SEIXAL 14:37
    PEÇO UM FAVOR Á UNIÃO EUROPEIA.METAM TODOS OS POLÍTICOS PORTUGUESES NA PRISÃO.
  • Toninho Marreco
    14 ago, 2017 Braga 14:17
    A verdade é que já não sou nenhuma criança . Uns 68 anos. Mas também há outra grande verdade . NUNCA SENTI TÃO GRANDE VERGONHA de ser portugues .
  • Filipe
    14 ago, 2017 Lisboa 14:17
    Impossível combater 270 incêndios. Seria preciso ter uma força de bombeiros descomunal. Só se trata deste problema que tem vindo a ser empurrado com a barriga por sucessivos governos actuando a montante, ie, no ordenamento do território.
  • Luis
    14 ago, 2017 Lisboa 13:51
    A melhor ajuda que a UE nos poderia dar era ajudar a saber quem é que anda a pôr o País a arder há meses. Ainda hoje se ouviu um autarca a falar em "terrorismo". Porque enquanto o fogo estava a ser combatido em duas frentes do lado contrario surgiu outro incêndio. O surpreendente da situação é que tal deflagração verificou-se à noite (10,30h) a km de distância. A Oposição Pafiosa está farta de cavalgar a desgraça dos incêndios e por isso já fez milhares de perguntas e continua a fazer. Só há uma pergunta que nunca fez que é: "Quem é que anda a incendiar o País de uma ponta à outra e a mando de quem?" Porque será que esta pergunta não tem sido feito se têm havido tantos autarcas a falar em fogos postos consecutivos? A UE que nos ajude a descobrir.
  • Vitor
    14 ago, 2017 Evora 13:04
    Ajudem mas é a apanhar os criminoso e expliquem aos juizes que esta gente tem de ser tratada como terroritas.A lei tem de se mudada deve ser mais rigida deve ser implacavel com estes criminosos.

Destaques V+