Tempo
|
A+ / A-

Depois de Londres, PSP avança com "medidas excepcionais de segurança" no Portugal-Hungria

24 mar, 2017 - 11:12

"Obviamente, vamos estar mais atentos", diz a PSP. Jogo acontece sábado, a partir das 19h45, no estádio da Luz.

A+ / A-

A Polícia de Segurança Pública vai implementar medidas adicionais de segurança no jogo entre Portugal e Hungria, no sábado, de qualificação para o Mundial de futebol de 2018, na sequência dos atentados de Londres.

“Lamentando o atentado de Londres, obviamente vamos estar mais atentos. Temos algumas medidas excepcionais de segurança que vão ser implementadas em estádio, para que as pessoas se sintam seguras quando ali se deslocam”, afirmou o subintendente Pedro Pinho, na conferência de imprensa de apresentação do dispositivo policial para o embate entre Portugal e a Hungria, no Estádio da Luz, em Lisboa.

“Estamos a receber informação para saber se essas medidas devem ser mais ou se devem ser aligeiradas”, reconheceu Pedro Pinho.

A selecção portuguesa, segunda classificada no Grupo B, com nove pontos, menos três do que a Suíça, recebe a Hungria, terceira com sete, a partir das 19h45, num encontro que vai ser arbitrado pelo polaco Szymon Marciniak.

Na quarta-feira, cinco pessoas morreram num atentado junto ao parlamento britânico: uma mulher e quatro homens, entre os quais o atacante, que foi abatido pelas forças de segurança.

A polícia britânica identificou na quinta-feira o autor do ataque como Khalid Masood, 52 anos, natural de Kent (sudeste de Inglaterra). Cerca de 50 pessoas ficaram feridas.

O autodenominado grupo Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque, através de um breve comunicado difundido através da agência de propaganda Amaq.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 24 mar, 2017 palmela 12:36
    Oscar fica aqui uma historia para contar ao manuel alegre a proposito de cabecas cortadas! O meu avo era republicano vivia na vila de canha na epoca havia uma enfermeira parteira casada um oficial do exercito que viviam por la! A enfermeira parteira tinha um problema com alcool um dia chamaram-na para fazer um parto apos o bebe nascer agarrou numa faca e cortou a cabeca alegando a familia que o bebe tinha duas cabecas! O caso foi abafado mas o bebe teve de ser enterrado no cemiterio o coveiro foi um homem de coragem levantou o bebe morto no ar e disse aqui esta a crianca com duas cabecas o povo que estava no cemiterio verificou que o bebe nao tinha cabeca alguma! Apartir dai na vila criou-se um clima de tensao dentro da vila como se tratava de duas pessoas importantes a gnr quando via grupinhos de gente reunida mandava o pessol para casa mas um dia calhou ao meu avo ele nao obedeceu a gnr ficou na rua porque sabia muito bem qual o motivo que eles nao queriam ninguem fala-se nas ruas conclusao o meu avo foi dormir dormir uma noite ao xelindro e saiu de la muito orgulhoso dizendo que a cadeia fez-se para os homens! Mais tarde o oficial e parteira creio que abandonaram a vila sem que nada de mal lhes tenha acontecido o poder esteve sempre do lado dos poderosos e vai continuar para sempre!

Destaques V+