A+ / A-

Explicador

O que esperar da conferência para a reconstrução da Ucrânia em Berlim?

11 jun, 2024 - 08:25 • Sérgio Costa , Guilherme Correia da Silva

A Alemanha diz que reconstrução da Ucrânia não pode esperar. Berlim já está, por exemplo, a ajudar a reconstruir a rede elétrica.

A+ / A-

Como reconstruir a Ucrânia? E como fazer com que as pessoas voltem ao país, para reconstruir a Ucrânia, quando a guerra acabar?

São dois dos grandes temas que vão ser debatidos entre terça-feira e quarta-feira numa conferência em Berlim para a reconstrução da Ucrânia. São esperados mais de 2.000 participantes.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, anunciou esta terça-feira que chegou à Alemanha para se reunir com o chanceler alemão, Olaf Scholz.

"Scholz e eu discutiremos mais ajuda em matéria de defesa, a expansão do sistema de defesa aérea da Ucrânia e a produção conjunta de armas. Coordenaremos as nossas posições antes da Cimeira da paz, o Conselho europeu e a Cimeira da NATO", indicou.

O que é que vai ser discutido?

Há meses que decorrem os preparativos.

A Alemanha diz que a reconstrução da Ucrânia não pode esperar. É preciso reconstruir casas, infraestruturas. E Berlim já está, por exemplo, a ajudar a reconstruir a rede elétrica e também a torná-la mais resistente a ataques.

Depois de uma conferência em Londres, no ano passado, este ano, há quatro grandes temas em cima da mesa, em Berlim: como ajudar as pequenas e médias empresas, como ajudar a planear as cidades depois da guerra, como ajudar a Ucrânia a entrar na União Europeia, e como tornar a Ucrânia atrativa para viver e trabalhar.

Porque faltam 11 milhões de ucranianos como mão de obra. Seja porque são soldados, que estão na linha da frente, ou porque estão deslocados ou refugiados.

Que resultados concretos se podem esperar?

Bom, a tarefa de reconstrução é gigantesca. Estima-se que são precisos mais de 500 mil milhões de euros para reconstruir a Ucrânia, na próxima década.

Nesta conferência em Berlim, vai ser lançada, por exemplo, uma aliança para mão de obra qualificada na Ucrânia. Para formar profissionais de saúde, eletricistas, engenheiros, técnicos de informática, agrónomos. Tudo profissões necessárias à reconstrução da Ucrânia.

Outra questão é como financiar tudo isto? Um dos objetivos da conferência em Berlim vai ser mobilizar doadores. Mas também se tem questionado se será possível financiar a reconstrução com dinheiro russo, retido na Europa?

A União Europeia chegou à conclusão que o que é possível é usar os lucros dos ativos russos congelados na Europa, para a reconstrução da Ucrânia e para comprar armas. Os primeiros fundos deverão já ser transferidos em julho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+