Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Órban anuncia que Hungria ratificará na segunda-feira entrada na NATO da Suécia

23 fev, 2024 - 14:37 • Lusa

A Hungria vai comprar quatro aviões de combate à Suécia, demonstrando o desejo de uma cooperação militar reforçada.

A+ / A-

O primeiro-ministro húngaro, o ultranacionalista Viktor Orbán, anunciou esta sexta-feira que será ratificada na segunda-feira a entrada na NATO da Suécia, a quem a Hungria vai comprar mais quatro aviões de combate.

Em conferência de imprensa, junto do seu homólogo sueco, Ulf Kristersson, Orbán informou que o Parlamento húngaro "reunir-se-á na segunda-feira e tomará as decisões necessárias, que encerrarão esta fase".

Após a ratificação, há um mês, pelo Parlamento turco, a Hungria é o último dos 31 membros da Aliança que ainda não aprovou a entrada da Suécia, num processo que começou há quase dois anos e até agora era bloqueado por estes dois países.

A ratificação pelo Parlamento húngaro, onde o Fidesz de Orbán tem uma maioria de dois terços, foi adiada várias vezes, tendo os deputados deste partido justificado o atraso, por exemplo, com as críticas "injustas" da Suécia sobre a política e a deriva democrática na Hungria, também denunciada pela União Europeia.

Orbán anunciou ainda esta sexta-feira que a Hungria vai comprar quatro aviões de combate à Suécia, demonstrando o desejo de uma cooperação militar reforçada.

"Hoje chegamos a um acordo para adicionar quatro aeronaves à frota de caças-bombardeiros Gripen das Forças de Defesa Húngaras", além das 14 já operadas em regime de arrendamento desde 2006, declarou.

Também foram assinados acordos relacionados com a manutenção e prestação de serviços destes aparelhos.

Orbán garantiu que esta operação não se relaciona com a ratificação da entrada da Suécia na NATO e afirmou que restaurar a confiança entre os dois países tem sido um processo longo, mas reconheceu que a aquisição dos caças "contribuirá para restabelecê-la".

O chefe do Governo sueco evitou criticar a Hungria e afirmou que quando um país pede para ser membro da NATO sabe que o pedido terá de ser ratificado por todos os países.

"Respeitamos que o Parlamento húngaro tenha tomado a sua decisão de forma mais lenta", indicou Kristersson, que anunciou que os dois países continuarão a procurar pontos de cooperação.

O governante afirmou que Hungria e Suécia, apesar das suas diferenças, são parceiros na União Europeia "e em breve também na NATO".

"Não concordamos em vários assuntos com a Hungria, mas numa coisa estamos de acordo: temos de cooperar nos assuntos em que partilhamos posições. Ambos os países são membros da UE e em breve também da NATO", disse.

O anúncio da visita do governante sueco ocorreu pouco depois de os deputados do Fidesz terem anunciado, na passada terça-feira, que tinham pedido ao presidente do Parlamento que incluísse o assunto na ordem do dia.

Além disso, foram assinados acordos relacionados à manutenção e prestação de serviços desses dispositivos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+