Tempo
|
A+ / A-

Filipinas

Sobe para 54 o número mortos e mais de 60 o de desaparecidos após deslizamento de terras

11 fev, 2024 - 19:02 • Lusa

O número de vítimas continua a ser provisório. As operações de socorro nas Filipinas continuam.

A+ / A-

O deslizamento de terra provocado pelas fortes chuvas numa aldeia mineira no sul das Filipinas na quarta-feira fez, pelo menos, 54 mortos e 63 desaparecidos, segundo um novo balanço publicado este domingo.

O anterior número divulgado, dava conta de 35 mortos e 77 desaparecidos, mas 19 corpos foram, entretanto, descobertos sob os escombros removidos este domingo, disseram as autoridades locais.

Segundo o novo balanço, 32 pessoas foram resgatadas até às 19h00 locais, com diferentes tipos de ferimentos.

O deslizamento de terras na aldeia de Masara, perto de uma mina de ouro, soterrou a estação rodoviária, utilizada pelos funcionários da mina, bem como 62 casas nesta aldeia da ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, obrigando à retirada de mais de 5.000 habitantes.

Pedras, lama e árvores caíram de mais de 700 metros de altura ao longo de uma montanha perto da mina e soterraram uma área de quase nove hectares.

Na sexta-feira passada, uma menina de três anos foi encontrada viva sob os escombros, o que as equipas de resgate descreveram como “milagre”.

No sábado, novos corpos foram encontrados, mas as operações de resgate foram interrompidas durante várias horas por dois terremotos, um de magnitude 5,8, por volta das 3h00, e um segundo de magnitude 5,4, duas horas depois. Os terremotos não parecem ter causado vítimas ou danos, segundo a agência noticiosa AFP.

As autoridades dizem-se determinadas a continuar as buscas até que todos os desaparecidos sejam encontrados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+