A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Autoridades recuperam corpos de 66 soldados mortos em combate

22 dez, 2023 - 21:11 • Lusa

Os restos mortais dos soldados serão transportados para centros especiais designados pelo Estado, onde serão entregues a representantes das forças da ordem e especialistas forenses que procederão à sua identificação.

A+ / A-

As autoridades ucranianas anunciaram, esta sexta-feira, a recuperação dos restos mortais de 66 soldados caídos em combate contra a Rússia.

A operação foi possível graças à ação da Central de Coordenação para o Tratamento de Prisioneiros de Guerra (CCTPG) em cooperação com o Centro Conjunto dos Serviços de Segurança da Ucrânia, o Ministério do Interior e outras instituições, indicou a CCTPG na plataforma digital Telegram.

Essa instituição também agradeceu ao Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e ao chefe da delegação na Ucrânia, Jürg Eglin, o seu "apoio e esforços significativos".

Os restos mortais dos soldados serão transportados para centros especiais designados pelo Estado, onde serão entregues a representantes das forças da ordem e especialistas forenses que procederão à sua identificação.

A última operação semelhante ocorreu em finais do mês passado, quando se recuperaram 94 cadáveres de soldados ucranianos.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro de 2022 uma ofensiva militar na Ucrânia que causou, de acordo com dados da ONU, a pior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e fez nos últimos quase 22 meses um elevado número de vítimas, não só militares como também civis, impossíveis de contabilizar enquanto o conflito decorrer.

A invasão - justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+