Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Lei da imigração é "um escudo que fazia falta", diz Macron

20 dez, 2023 - 23:52 • Lusa

A culminar vários meses de tensas disputas legislativas, o parlamento aprovou na terça-feira definitivamente a lei sobre a imigração, que torna significativamente mais rigorosas as condições de admissão de cidadãos estrangeiros em França.

A+ / A-

A lei da imigração cuja aprovação desencadeou em França uma crise na maioria governamental, é "um escudo que fazia falta" ao país, defendeu hoje o Presidente, Emmanuel Macron, rejeitando que o texto se inspire em princípios de extrema-direita.

"Quando governamos, temos responsabilidades, e essas responsabilidades comprometem-nos. Temos de assumir a responsabilidade pelo que foi feito no passado e temos também de acalmar os espíritos", disse Macron em declarações ao canal televisivo France 5.

O chefe de Estado francês considerou também que a caução exigida aos estudantes estrangeiros pela lei da imigração aprovada na terça-feira à noite "não é uma boa ideia", mas que as disposições que não lhe agradam "não justificam bloquear tudo".

"Honestamente, não é uma boa ideia (...), porque penso que precisamos de continuar a atrair os talentos dos estudantes de todo o mundo", explicou.

Mas "o texto adotado é um texto que continua a ser útil [e] as disposições que foram aceites, apesar de não me agradarem, não justificariam bloquear tudo", afirmou Macron.

Para evitar que o partido da extrema-direita francês União Nacional chegue ao poder, "é necessário resolver os problemas que o alimentam", sustentou, sublinhando que esta lei da imigração visa "muito claramente" desencorajar a entrada de imigrantes ilegais no país.

Existe "um problema de imigração" em França, afirmou ainda o chefe de Estado francês, embora frisando que não acredita que o país esteja "esmagado pela imigração".

A culminar vários meses de tensas disputas legislativas, o parlamento aprovou na terça-feira definitivamente a lei sobre a imigração, que torna significativamente mais rigorosas as condições de admissão de cidadãos estrangeiros em França.

A aprovação deste projeto de lei, com os votos a favor da extrema-direita de Marine Le Pen, que reivindicou uma "vitória ideológica", fraturou a maioria presidencial, levando à demissão de um ministro.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+