A+ / A-

guerra israel-hamas

ONU deteta 360 mil casos de doenças infecciosas nos refugiados em Gaza

20 dez, 2023 - 08:26 • Lusa

O Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas alertou ainda que metade da população de Gaza se encontra numa situação de fome grave ou extrema e que 90% dos habitantes do território passam dias inteiros sem comer.

A+ / A-

A ONU disse esta quarta-feira ter detetado mais de 360 mil casos de doenças infecciosas entre os 1,4 milhões de refugiados nas instalações da organização em Gaza, devido às más condições de higiene e à falta de alimentos.

O relatório diário das Nações Unidas sobre o conflito disse que foram identificadas infeções como meningite, varicela, icterícia, além de doenças respiratórias e cutâneas entre as pessoas deslocadas em centros da Agência da ONU para os Refugiados Palestinianos.

O documento denunciou, mais uma vez, os ataques às instalações de saúde em Gaza, que se tornaram cenários de combate depois de Israel ter acusado o movimento islamita Hamas de as usar como refúgio para as milícias armadas e até como centros de operações.

O relatório lembrou que, na segunda-feira, após duas semanas de cerco, o hospital Al Awda, na cidade de Jabalia, no norte de Gaza, foi invadido por soldados israelitas que detiveram, despiram, amarraram e interrogaram pacientes, médicos e refugiados, incluindo menores.

A maioria foi levada de volta ao hospital, mas pelo menos seis pessoas, incluindo o diretor do hospital, continuam detidas, de acordo com informações da organização não governamental Médicos Sem Fronteiras.

Na terça-feira, outra operação semelhante, desta vez no hospital Al Ahli, na Cidade de Gaza, resultou na detenção de vários médicos e pacientes, bem como na destruição da entrada principal das instalações.

As proximidades do hospital Al Yaman al Shaeed, em Jabalia, também sofreram intensos ataques com projéteis e armas de fogo nos últimos dias, acrescentou o relatório.

Apenas nove dos 36 hospitais da Faixa de Gaza estão a funcionar parcialmente, todos eles na metade sul do enclave, enquanto no norte quatro centros prestam serviços extremamente limitados aos pacientes e não têm condições de admitir novos doentes.

Há seis dias que Gaza tem vivido um corte quase total nos serviços de telecomunicações e internet, o que dificulta as operações de emergência e o acesso a informações sobre a evolução do conflito, indicou a ONU.

O Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas alertou que metade da população de Gaza se encontra numa situação de fome grave ou extrema e que 90% dos habitantes do território passam dias inteiros sem comer.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+