Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

BP suspende tráfego nas rotas que passem pelo Mar Vermelho

18 dez, 2023 - 14:37 • Lusa

Petrolífera segue grandes operadores marítimos como a dinamarquesa Maersk e a alemã Hapag-Lloyd, que paralisaram o tráfego dos seus navios porta-contentores na região devido à "deterioração da situação de segurança".

A+ / A-

A BP decidiu suspender temporariamente o tráfego de todos os seus navios nas rotas que atravessam o Mar Vermelho devido ao agravamento da situação de segurança na zona, anunciou esta segunda-feira a companhia petrolífera britânica.

"À luz da deterioração da situação de segurança para a navegação no Mar Vermelho, a BP decidiu suspender temporariamente todo o tráfego [de navios] através do Mar Vermelho", refere a BP num comunicado.

"Manteremos esta suspensão preventiva sob revisão contínua, sujeita às circunstâncias e à evolução da situação na região", salienta a petrolífera britânica.

Desta forma, a petrolífera segue as medidas anunciadas nos dias anteriores por grandes operadores marítimos como a dinamarquesa Maersk e a alemã Hapag-Lloyd, que paralisaram o tráfego dos seus navios porta-contentores através do Mar Vermelho.

De igual modo, o gigante dos transportes marítimos MSC anunciou a sua decisão de desviar o tráfego dos seus navios do Canal do Suez para leste e para oeste até que a passagem pelo Mar Vermelho seja segura.

"Estamos a desviar alguns serviços através do Cabo da Boa Esperança, garantindo operações ininterruptas e seguras", salientou a petrolífera britânica.

A guerra entre Israel e o Hamas começou em 7 de outubro, quando o grupo islamita atacou, de surpresa e com uma força inédita, o território israelita, matando 1200 pessoas, na sua maioria civis, e fazendo mais de 200 reféns, segundo as autoridades de Telavive.

Em retaliação, Israel tem bombardeado Gaza e bloqueou a entrada de bens essenciais no enclave palestiniano como água, ajuda alimentar, medicamentos e combustível.

Embora os dois lados tenham feito uma trégua de alguns dias para troca de prisioneiros e reféns, bem como para permitir o acesso de ajuda humanitária, os últimos dados atualizados das autoridades de Gaza, território controlado pelo Hamas desde 2007, apontam para cerca de 19 mil mortos no enclave palestiniano.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+