Tempo
|
A+ / A-

​Filho do Presidente dos EUA acusado de crimes fiscais

08 dez, 2023 - 05:42

O filho de Biden, de 53 anos, já é acusado de três crimes relacionados com a compra e posse de armas - ilegal quando se consome drogas -, que adquiriu em 2018.

A+ / A-

O filho do Presidente dos Estados Unidos, Hunter Biden, foi acusado de ter cometido nove crimes fiscais, avançou a agência de notícias Associated Press.

O filho de Biden, de 53 anos, já é acusado de três crimes relacionados com a compra e posse de armas - ilegal quando se consome drogas -, que adquiriu em 2018.

A Câmara dos Representantes dos EUA, controlada pelos republicanos, está também a investigar Hunter Biden no âmbito das investigações sobre o pai, Joe Biden, por alegadas irregularidades, incluindo tráfico de influências para beneficiar membros da família em negócios.

No âmbito destas investigações, está previsto que o filho do Presidente testemunhe perante o Congresso na quarta-feira, 13 de dezembro.

Em outubro, Hunter Biden declarou-se inocente num tribunal do Delaware das acusações de ter comprado uma arma em 2018, mentindo sobre o facto de não consumir drogas, apesar de mais tarde ter admitido que lutava contra o vício do 'crack'.

As acusações contra o filho do líder democrata são o resultado de uma investigação aberta em 2018, durante a administração de Donald Trump (2017-2021), e que o próprio ex-Presidente, agora candidato à nomeação presidencial republicana, usou para atacar Biden, o qual poderia enfrentar nas eleições de 2024.

A investigação, que já dura cinco anos, levou este ano a um acordo entre a defesa de Hunter Biden e a equipa de acusação liderada pelo procurador nomeado por Trump, David Weiss, o que poderia ter colocado um ponto final no caso.

No entanto, esse pacto fracassou e agora Hunter Biden enfrenta um julgamento que provavelmente terá lugar em plena campanha para as eleições marcadas para novembro de 2024.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+