Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

​Guerra no Médio Oriente

Israel diz ter encontrado laboratórios de armamento em Jenin

06 dez, 2023 - 13:40 • Redação, com Lusa

O Exército israelita efetuou também novos ataques contra a cidade sitiada de Khan Younes, no sul da Faixa de Gaza.

A+ / A-

Israel diz ter encontrado pelo menos três laboratórios de fabrico de armamento no campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia.

Na operação realizada no território palestiniano foram apreendidas diversas armas.

Pelo menos 26 pessoas foram detidas durante esta operação que decorreu de madrugada.

Um soldado israelita ficou ferido.

Israel intensifica ataques em Khan Younes

O Exército israelita efetuou esta quarta-feira novos ataques contra a cidade sitiada de Khan Younes, no sul da Faixa de Gaza, onde os habitantes tentam abrigar-se dos bombardeamentos e dos combates mais intensos.

Os palestinianos de Gaza vivem num "horror total", declarou o Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Volker Türk, temendo "atrocidades", dois meses após o início da guerra desencadeada pelo ataque do movimento palestiniano Hamas contra Israel, a 7 de outubro.

As ruas de Khan Younes, onde as tropas terrestres também estão envolvidas, estavam hoje praticamente vazias, enquanto mortos e feridos continuam a ser transportados para os hospitais, segundo os jornalistas da Agência France Presse (AFP) no local.

Centenas de milhares de civis encontram-se na cidade e arredores sendo que muitos são deslocados de outras zonas do enclave desde o início da guerra, enfrentando uma situação humanitária catastrófica e confinados a uma área cada vez mais perto da fronteira com o Egito.

Milhares de pessoas, a pé, em carroças ou com as bagagens empilhadas nos tejadilhos de automóveis, continuam a fugir para o sul e para a cidade vizinha de Rafah.

"Toda a cidade está a ser destruída e bombardeada. Muitas pessoas estão a chegar do norte em condições desastrosas, sem abrigo, à procura dos filhos", disse à AFP Hassan Al-Qadi, um residente de Khan Younes que acaba de chegar a Rafah.

"Queremos compreender. Se nos querem matar, que nos cerquem num só lugar e nos eliminem todos juntos. Mas empurrar-nos de um sítio para outro não é justo. Não somos apenas números. Somos seres humanos", acrescentou.

Fadi Al-Ashi, residente na cidade de Gaza, norte do território, chegou a Rafah depois de uma longa caminhada.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+