Tempo
|
A+ / A-

"Israel não terá segurança se continuar a matar civis palestinianos", diz Macron

02 dez, 2023 - 21:12 • João Carlos Malta

O presidente fancês está no Médio Oriente para chegar a um acordo sobre uma nova trégua e potencialmente um cessar-fogo duradouro entre Israel e o Hamas.

A+ / A-

"Israel não terá segurança se continuar a matar civis palestinianos", disse este sábado o presidente francês Emmanuel Macron, citado pela AlJazzera.

“Não há segurança duradoura para Israel na região se a sua segurança for alcançada à custa das vidas palestinas”, reforçou Macron numa conferência de imprensa no Dubai antes de voar para o Qatar.

Macron está em Doha para ajudar nos esforços para chegar a um acordo sobre uma nova trégua e potencialmente um cessar-fogo duradouro entre Israel e o Hamas.

EUA pendem a Israel que proteja os civis

Entretanto, o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, também pediu a Israel para proteger os civis em Gaza.

Austin disse no Fórum de Defesa Nacional Reagan, na Califórnia, que “aprendeu uma ou duas coisas sobre a guerra urbana” enquanto lutava no Iraque e liderava a campanha contra o grupo armado ISIS.

“Tal como o Hamas, o ISIS estava profundamente enraizado nas áreas urbanas. E a coligação internacional contra o ISIS trabalhou arduamente para proteger os civis e criar corredores humanitários, mesmo durante as batalhas mais difíceis”, disse o secretário de Defesa dos EUA. “

A lição não é que se pode vencer na guerra urbana protegendo os civis. A lição é que só se pode vencer na guerra urbana protegendo os civis. Neste tipo de luta, o centro de gravidade é a população civil. E se os lançarmos nos braços do inimigo, substituir-se-á uma vitória tática por uma derrota estratégica", rematou.

Em Gaza, os números de mortes já chegaram aos 15 mil, um terço das vítimas mortais são crianças.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+