A+ / A-

NATO preocupada com a influência da Rússia na Bósnia-Herzegovina

20 nov, 2023 - 14:50 • Lusa

A Bósnia-Herzegovina é membro desde 2006 do programa Parceria para a Paz e integra desde 2010 o Membership Action Plan/MAP, um plano de ação para a adesão à Aliança.

A+ / A-

A NATO está preocupada com a influência russa na Bósnia-Herzegovina, bem como com as divisões internas do país balcânico e as suas tendências separatistas, principalmente da entidade sérvia, afirmou o secretário geral da Aliança, Jens Stoltenberg, esta segunda-feira.

Jens Stoltenberg fez estas declarações durante uma conferência de imprensa em Sarajevo, após uma reunião com Borjana Kristo, presidente do Conselho de Ministros da Bósnia-Herzegovina, que é o governo central do país - dividido em duas entidades autónomas, de um lado os sérvios e do outros os muçulmanos e croatas.

"Estamos preocupados com a retórica secessionista e divisionista, bem como com a interferência estrangeira maligna, inclusivamente da Rússia", disse Stoltenberg.

Alertando sobre os riscos para a estabilidade do país, Stoltenberg exortou todos os líderes políticos bósnios a trabalharem para manter a unidade, construir instituições nacionais e alcançar a reconciliação entre os vários grupos étnicos.

O líder dos sérvios da Bósnia, Milorad Dodik, um político nacionalista e pró-russo com forte retórica separatista, lançou várias iniciativas desde 2021 para desassociar a entidade sérvia das instituições centrais da Bósnia.

As suas ações aumentaram a tensão no país, que entre 1992 e 1995 sofreu uma guerra civil com quase 100.000 vítimas e centenas de milhares de pessoas deslocadas e refugiados.

Stoltenberg lembrou que a NATO está comprometida há anos com a segurança na Bósnia-Herzegovina, que por sua vez é uma das chaves para a segurança em toda a região, e defende a integridade territorial do país.

"É por isso que aprofundámos a cooperação com o diálogo político e a cooperação prática", disse Stoltenberg.

"A NATO apoia intensamente a soberania e a integridade territorial deste país", destacou ainda o político norueguês.

As reformas necessárias para fazer avançar esta integração foram atrasadas devido à rejeição do sérvios da Bósnia para que o país integre ao pacto militar.

Stoltenberg reiterou o apoio da NATO à missão militar europeia EUFOR Althea, que desde 2004 faz a vigilância da segurança e do cumprimento do acordo de paz estabelecido em 1995.

Por sua vez, Kristo garantiu que o seu país está a trabalhar em reformas para atingir as exigências estabelecidas para entrar na Aliança Atlântica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+