Tempo
|
A+ / A-

​Lula deseja "boa sorte e êxito" ao novo governo argentino mas não felicita Milei

20 nov, 2023 - 04:35 • Lusa

"Desejo boa sorte e êxito ao novo governo. A Argentina é um grande país e merece todo o nosso respeito. O Brasil sempre estará à disposição para trabalhar junto com nossos irmãos argentinos", escreveu Lula sobre o novo Governo argentino.

A+ / A-

O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, desejou no domingo "boa sorte e êxitos" ao novo Governo argentino, numa mensagem reconhecendo que "a democracia é a voz do povo", sem felicitar diretamente o vencedor das presidenciais Javier Milei.

Milei, candidato ultraliberal, venceu o peronista Sergio Massa na segunda volta das presidenciais que decorreram domingo no país vizinho.

"Desejo boa sorte e êxito ao novo governo. A Argentina é um grande país e merece todo o nosso respeito. O Brasil sempre estará à disposição para trabalhar junto com nossos irmãos argentinos", escreveu Lula, que durante a campanha na Argentina foi definido por Milei de "comunista" e "corrupto".

"A democracia é a voz do povo, e ela deve ser sempre respeitada. Meus parabéns às instituições argentinas pela condução do processo eleitoral e ao povo argentino que participou da jornada eleitoral de forma ordeira e pacífica", adiantou.

Milei é próximo de Jair Bolsonaro, antecessor de Lula, além de admirador declarado do ex-presidente norte-americano Donald Trump. Bolsonaro já felicitou entusiasticamente a vitória de Milei.

Com perto de 95% dos votos contados, Javier Milei segue com 55,79% e Sergio Massa com 44,20%, segundo resultados parciais oficiais.

O Presidente da Colômbia, Gustavo Petro, lamentou que na Argentina "a extrema direita" tenha vencido e afirmou que a eleição de Milei é uma notícia "triste para a América Latina".

"Venceu a extrema-direita na Argentina, é a decisão da sua sociedade. Triste para a América Latina e logo veremos... o neoliberalismo já não tem propostas para a sociedade, não pode responder aos problemas atuais da humanidade", considerou Petro na rede social X.

O mandatário colombiano tinha apelado ao voto em Sergio Massa, contra a "barbárie" que atribuía a um eventual triunfo de Milei.

No Chile, o Presidente Gabriel Boric saudou Milei, manifestando-se disposto a "colaborar" com o novo Governo.

"Saúdo Javier Milei pelo seu triunfo e Sergio Massa pelo seu digno reconhecimento da derrota. Ao povo argentino desejo o melhor e saibam que sempre contarão com o nosso respeito e apoio", escreveu o presidente na rede social X.

"Como presidente do Chile vou trabalhar incansavelmente para manter nossas nações irmãs unidas e colaborando para o bem-estar de todos e todas", adiantou o chefe de Estado, também ele dos antípodas políticos de Milei.

O governo peruano expressou a sua "calorosa felicitação" a Milei e saudou "a vocação democrática manifestada pelo povo argentino nesta bem sucedida jornada eleitoral"

"O Peru expressa as suas calorosas felicitações a Milei pela sua eleição como Presidente da República Argentina. Ao desejar-lhe o maior dos sucessos na sua gestão, renova o seu compromisso de continuar a fortalecer os históricos laços de amizade e cooperação que unem os nossos países", indicou a Presidência peruana na rede social X.

O Presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, também felicitou Milei através das redes sociais, antecipando "muito trabalho em conjunto" entre ambos.

"Saúdo o Presidente eleito Javier Milei. Temos muito para trabalhar em conjunto e para melhorar as nossas relações bilaterais", escreveu Lacalle Pou.

Na primeira volta, em 22 de outubro, Sergio Massa obteve 36,78% dos votos, enquanto Milei, que é apoiado pelo ex-presidente Mauricio Macri e se define como um "anarco-capitalista" - uma forma extrema de liberalismo defensora de uma sociedade capitalista sem Estado - ficou com 29,99%.

Para a reta final da eleição, Milei obteve o apoio da terceira classificada na primeira volta, Patricia Bullrich.

O próximo presidente argentino, que sucederá ao peronista Alberto Fernández (2019-2023), governará a partir de 10 de dezembro para o período 2023-2027.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+