Tempo
|
A+ / A-

Espanha

Pedro Sánchez reeleito primeiro-ministro no Parlamento

16 nov, 2023 - 12:17

Após dois dias de debate, o Parlamento de Espanha aprovou a investidura de Pedro Sánchez como primeiro ministro num processo marcado por acordos polémicos.

A+ / A-

Pedro Sánchez foi esta quinta-feira reconduzido como primeiro-ministro de Espanha com maioria absoluta de 179 deputados. A reeleição do socialista decorreu no parlamento e contou com o apoio de oito partidos.

Antes da votação, no segundo e último dia de debate para a investidura, Pedro Sánchez falou aos socialistas reconhecendo que foi difícil o percurso que terminou, agora, na sua recondução à frente do governo.

“Sei que o processo que nos trouxe até hoje não foi fácil e não foi fácil para mim. Obrigado pela confiança", disse Sánchez dirigindo-se aos 121 deputados do PSOE.

O novo líder do governo espanhol apontou, ainda, o próximo tempo político como um “tempo de diálogo, mudança, prosperidade, justiça social e liberdade”.

Já o líder do Partido Popular (PP), Alberto Núnêz Feijóo , logo após a votação, considerou a investidura de Sánchez como um “erro”.

Por sua vez, o porta-voz dos socialistas, Patxi López aconselhou o PP a não seguir a linha das críticas do Vox contra amnistia. “Não continue a alimentar a fera, porque ela vai acabar devorá-lo”, avisou dirigindo-se a Feijóo.

O PP venceu as eleições de julho, mas não garantiu a maioria absoluta.

O PSOE foi o segundo partido mais votado. Assume agora a liderança do governo em coligação com o Somar, uma plataforma de formações de esquerda e extrema-esquerda liderada pela atual ministra do trabalho, Yolanda Díaz.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    16 nov, 2023 PORTUGAL 14:01
    Chamar à sede ( sedenta ) de poder democracia é ARRUINAR a LIBERDADE. Este Senhor fez COLIGAÇÃO com 8 partidos e UM ou DOIS são EXTREMISTAS. Extremistas de esquerda ou de direita é a MESMÍSSIMA porcaria. Se UNS são contra alguma COISA, OUTROS são contra alguma COUSA. Diziam-me os HOMENS e MULHERES verdadeiros DEMOCRATAS, que pela LEI DA VIDA já não se encontram entre NÓS, que em DEMOCRACIA ganha e deve GOVERNAR quem tiver MAIS UM VOTO. Infelizmente, acontece isso SÓ nas AUTÁRQUICAS, porque são os POLÍTICOS mais pequeninos que os POLÍTICOS da Capital assim os consideram. Isto, quer QUEIRAM ou NÃO, contraria a VONTADE DO POVO. Que sirva de LIÇÃO e que os POLITIQUEIROS da nossa PRAÇA não falem em POVO, pois o verdadeiro POVO é DESCONSIDERADO com ACORDOS destes.

Destaques V+