Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Ataques israelitas ao hospital Al-Shifa intensificaram-se durante a noite

11 nov, 2023 - 09:20 • Marta Pedreira Mixão , Carla Fino com Lusa

A organização insiste no seu apelo para que se ponha termo aos ataques contra os hospitais e se protejam as instalações de saúde, o pessoal médico e os doentes.

A+ / A-

Os ataques israelitas ao hospital Al-Shifa, o maior da Faixa de Gaza, intensificaram-se "dramaticamente" durante a noite, denunciou este sábado a Organização Não-Governamental Médicos Sem Fronteiras (MSF).

"Nas últimas horas, os ataques ao hospital Al-Shifa intensificaram-se de forma dramática. A nossa equipa no hospital relatou uma situação catastrófica no interior do hospital há poucas horas", escreveu a ONG na rede social X (antigo Twitter).

A organização insiste no seu apelo para que se ponha termo aos ataques contra os hospitais e se protejam as instalações de saúde, o pessoal médico e os doentes.

"Não podemos retirar-nos e (deixar) as pessoas lá dentro. Como médico, eu juro ajudar as pessoas que precisam de ajuda", disse Mohamed Obeid, um cirurgião citado pelos MSF.

Na sexta-feira, as tropas israelitas começaram a cercar o hospital Al-Shifa e vários outros centros hospitalares importantes em Gaza.

O Ministério da Saúde da Faixa de Gaza disse, na sexta-feira, que pelo menos 20 pessoas foram mortas num ataque israelita a Al-Shifa.

Hospitais de Gaza estão a entrar em colapso

O porta-voz do ministério da Saúde em Gaza revelou à agência Reuters que o hospital Al-Shifa, o maior complexo da Faixa de Gaza, ficou sem combustível e que, por isso, deixou de funcionar.

Há a indicação de que um recém-nascido terá morrido dentro da incubadora, onde ainda se encontram 45 bébes, que estão agora em risco.

Israel tem acusado o Hamas de esconder as bases de comando em túneis por debaixo de hospitais, acusações estas que têm sido negadas pelo Hamas.

Entretanto, à Arábia Saudita começaram a chegar os delegados para a cimeira de líderes árabes, e que inclui o Presidente do Irão e em cima da mesa está uma declaração conjunta para o fim do conflito entre Israel e o Hamas.

[Notícia atualizada às 10h31]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+