Tempo
|
A+ / A-

Rede social X vai começar a cobrar um dólar na Nova Zelândia e Filipinas

18 out, 2023 - 07:48 • Lusa

A X afirmou que vai partilhar os resultados desta medida experimental logo que possível.

A+ / A-

A rede social X (ex-Twitter) informou esta quarta-feira que vai começar a cobrar uma taxa de um dólar por ano (0,94 euros) aos novos utilizadores na Nova Zelândia e nas Filipinas para realizar qualquer ação básica, exceto ler e seguir outras contas.

Em comunicado, a rede social de Elon Musk informou que a medida, em fase experimental, visa "reduzir as mensagens indesejadas, a manipulação na plataforma e a atividade de 'bots'", que se traduz numa aplicação de software concebido para simular ações humanas.

A partir desta quarta-feira, os serviços incluídos na taxa incluem publicar, republicar, responder e gostar, enquanto que os utilizadores que não pagam só vão poder seguir outras contas, ler e ver fotos e vídeos.

"Isto permitir-nos-á avaliar uma medida potencialmente poderosa para nos ajudar a combater os 'bots' e as contas inúteis na X, mantendo o acesso à plataforma em troca de uma taxa reduzida", argumentou a rede social.

Os novos utilizadores da Nova Zelândia e das Filipinas vão ter primeiro de verificar a conta com o número de telefone e pagar o equivalente a um dólar: 1,43 dólares neozelandeses e 42,51 pesos filipinos.

O empresário Elon Musk, que adquiriu o Twitter em 2022 e o rebatizou de X em julho, tem procurado formas de aumentar as receitas da plataforma, incluindo uma taxa para assinantes 'premium' em todo o mundo, bem como para combater os 'bots'.

No entanto, Musk também fez despedimentos em massa e eliminou equipas de monitorização da desinformação, o que levou a um aumento das notícias falsas e das mensagens de ódio na rede e à consequente fuga de muitos dos seus anunciantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+