A+ / A-

"É como um rocket a cair no centro de Lisboa". Português relata ataques em Telavive

07 out, 2023 - 20:25 • João Cunha com Redação

O português acredita que os números de mortos e feridos são mais elevados dos que estão a ser veiculados oficialmente.

A+ / A-

David Rosh Pina, que vive em Telavive, diz que os ataques deste sábado a Israel são "o pior que já viu" desde que se mudou para o país, há cerca de sete anos.

O português, que trabalha na cidade e é responsável pelas páginas de Turismo de Telavive, conta à Renascença que começaram a soar sirenes e que se deslocou para o abrido do apartamento em que vive.

"Geralmente, quando é a interceção de um rocket, ouve-se um som. Quando o rocket cai, é outro som. Dava para perceber que os rockets estavam a atingir", refere.

"É como se um rocket caísse no centro de Lisboa", exemplifica.

O português acredita que os números de mortos e feridos são mais elevados dos que estão a ser veiculados oficialmente.

David Rosh Pina considera que "a situação militar não está segura" e que os rockets são uma manobra de diversão para "uma incursão terrestre".

"A surpresa é enorme. As pessoas estão completamente chocadas. Estão a comparar isto ao 11 de setembro", indica.

"As pessoas estão com medo de uma intervenção do Hezbollah. Seria uma questão existencial. Estaríamos a falar de um grupo que não tem rockets, tem mesmo mísseis", relata, ainda.

A conversa de David Rosh Pina com a Renascença foi interrompida pelo soar de sirenes, que resultaram de um novo conjunto de rockets que foram enviados contra Telavive.

O português voltou a retomar o contacto e admite que "não sabe" se vai continuar a viver em Israel ou não, apontando para a degradação da política interna de Israel e um possível conflito também com o Irão.

Israel declarou o estado de guerra após as milícias palestinianas de Gaza, lideradas pelo movimento islâmico Hamas, terem lançado uma operação surpresa sem precedentes, com o lançamento de mais de mil foguetes e infiltrações em território israelita.

Pelo menos 232 palestianos e 200 israelitas morreram devido aos combates deste sábado.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+