Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Polónia e Ucrânia anunciam novo acordo de cereais

03 out, 2023 - 12:10 • Lusa

"A partir de amanhã [quarta-feira], os controlos na fronteira ucraniano-polaca para os cereais que transitam pela Lituânia vão ser efetuados em território lituano, num porto lituano."

A+ / A-

Varsóvia e Kiev anunciaram esta terça-feira um acordo que pode acelerar o trânsito de cereais ucranianos para outros países através do território da Lituânia.

Trata-se do primeiro acordo entre a Polónia e a Ucrânia desde o anúncio, em setembro, do embargo polaco às importações de produtos agrícolas ucranianos.

O acordo envolve diretamente a Lituânia.

"Chegámos a acordo sobre uma questão importante", declarou o ministro da Agricultura da Polónia, Robert Telus, no final de uma reunião tripartida.

"A partir de amanhã [quarta-feira], os controlos na fronteira ucraniano-polaca para os cereais que transitam pela Lituânia vão ser efetuados em território lituano, num porto lituano", afirmou.

"A Lituânia assume toda a responsabilidade por estas inspeções", acrescentou.

Telus acrescentou que a Polónia vai continuar a construir corredores de trânsito, porque, afirmou "é bom para os agricultores polacos, para a Ucrânia, para a União Europeia e para todo o mundo, uma vez que os cereais da Ucrânia devem ser transportados para as regiões que deles precisam".

Este é o primeiro acordo entre a Polónia e a Ucrânia desde o início da crise diplomática entre os dois países, causada pelo embargo polaco às importações de cereais ucranianos.

Varsóvia pretendia proteger o mercado interno e os agricultores nacionais pelo "colapso do preço" dos produtos agrícolas.

O trânsito de cereais ucranianos através da Polónia para outros países continua a ser autorizado.

De acordo com o Ministério da Agricultura ucraniano, a decisão anunciada hoje "vai acelerar o trânsito através da Polónia".

Num comunicado de imprensa, o ministério ucraniano declarou ainda que Varsóvia e Vilnius "apoiam o mecanismo de controlo e consideram-no um passo construtivo".

Desde o início da segunda ofensiva russa na Ucrânia (fevereiro de 2022) que Moscovo bloqueia o acesso ao Mar Negro.

Os países vizinhos da Ucrânia tornaram-se essenciais para o trânsito de cereais ucranianos para África e para o Médio Oriente.

Os Estados vizinhos da Ucrânia registaram um afluxo de cereais depois de a União Europeia ter levantado os direitos aduaneiros em maio de 2022.

Em vez de chegarem aos destinos desejados, os cereais permaneceram na Europa Central devido a problemas logísticos, fraudes e falta de vigilância.

Na sequência da saturação dos silos e da queda dos preços, vários dos países impuseram um embargo unilateral.

Bruxelas aprovou formalmente estas restrições - a título temporário -, e sob reserva, de manter a passagem dos cereais para outros destinos.

O acordo expirou em meados de setembro e a Comissão Europeia decidiu não proceder à renovação.

Em contrapartida, Kiev prometeu medidas para controlar melhor os fluxos de exportação.

A Hungria, a Polónia e a Eslováquia retaliaram prolongando o embargo, o que levou a Ucrânia a apresentar uma queixa junto da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O embargo provocou uma crise nas relações entre Kiev e Varsóvia.

No final de setembro, o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kouleba, declarou que nem a Ucrânia nem a Polónia "precisavam da guerra dos cereais", considerando que a campanha eleitoral para as eleições legislativas polacas de 15 de outubro estava a "alimentar tensões".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+