Tempo
|
A+ / A-

Arménia recebe 42.500 refugiados de Nagorno-Karabakh numa semana

27 set, 2023 - 12:04 • Lusa

Baku abriu no passado domingo a única estrada que liga o enclave à Arménia, quatro dias depois de os separatistas se terem rendido.

A+ / A-

As autoridades arménias comunicaram nesta quarta-feira a chegada de 42.500 refugiados do Nagorno-Karabakh, um terço da população da região separatista onde o Azerbaijão levou a cabo uma ofensiva militar na semana passada.

No domingo, Baku abriu a única estrada que liga o enclave à Arménia, quatro dias depois de os separatistas se terem rendido e de um acordo de cessar-fogo ter colocado o Nagorno-Karabakh sob o controlo do Azerbaijão.

Segundo fontes governamentais do Azerbaijão, um total de 192 soldados azeris foram mortos e 511 ficaram feridos durante a ofensiva do Azerbaijão no Nagorno-Karabakh na semana passada.

O Ministério da Saúde do Executivo de Baku acrescentou também que um civil azeri morreu durante as hostilidades.

As autoridades do Nagorno-Karabakh disseram anteriormente que pelo menos 200 arménios, incluindo dez civis, foram mortos e mais de 400 ficaram feridos nos combates.

Sobre a explosão, segunda-feira, numa bomba de gasolina perto da capital do enclave, Stepanakert, onde as pessoas faziam fila para abastecer carros antes de partirem para a Arménia, os últimos dados de Erevan referem que morreram pelo menos 68 pessoas.

Outras 290 pessoas ficaram feridas e um total de 105 foram consideradas desaparecidas até à noite de terça-feira, segundo o Provedor dos Direitos Humanos do Nagorno-Karabakh, Gegham Stepanyan.

As informações sobre o número de mortos ainda não foram verificadas por entidades independentes.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+