Tempo
|
A+ / A-

Vacinação Covid-19

Vacina Covid com nova tecnologia pode proteger de futuros vírus

25 set, 2023 - 17:57 • Lusa

Investigação indica que a tecnologia de antigénio da vacina forneceu proteção contra todas as variantes conhecidas do SARS-CoV-2.

A+ / A-

Investigadores da Universidade de Cambridge desenvolveram uma vacina "preparada para o futuro", com uma estrutura antigénica única que confere proteção contra todas as variantes conhecidas do vírus SARS-CoV-2, que causa a covid-19, e outros coronavírus.

Os estudos desenvolvidos pela Universidade de Cambridge e pela DIOSynVax, empresa criada na sequência da investigação, no início de 2020, sugerem que uma única vacina com combinações desses antigénios -- elementos que levam a que o sistema imunitário produza anticorpos -- poderia proteger contra uma gama ainda maior de coronavírus atuais e futuros.

Segundo os resultados da investigação, publicados esta segunda-feira na revista Nature Biomedical Engineering, a tecnologia de antigénio da vacina forneceu proteção contra todas as variantes conhecidas do SARS-CoV-2, bem como outros coronavírus, incluindo aqueles que causaram a primeira epidemia de SARS (Síndrome Respiratório Agudo Severo) em 2002.

"Os estudos em ratos, coelhos e porquinhos-da-índia -- um passo importante antes de iniciar os ensaios clínicos em humanos, atualmente em curso em Southampton e Cambridge -- descobriram que a candidata a vacina proporcionou uma forte resposta imunitária contra uma série de coronavírus, visando as partes do vírus que são necessárias para a replicação", refere a investigação, adiantando que a vacina candidata baseia-se num único antigénio digitalmente concebido e imunologicamente otimizado.

Embora tenha sido desenvolvida antes do surgimento das variantes Alfa, Beta, Gama, Delta e Ómicron do SARS-CoV-2, a vacina forneceu uma forte proteção contra todas estas e contra variantes mais recentes, sugerindo que as vacinas baseadas nos antigénios DIOSynVax também podem proteger contra futuras variantes do SARS-CoV-2.

A DIOSynVax (vacina sintética otimizada imunologicamente por via digital) usa uma combinação de biologia computacional, estrutura de proteínas, otimização imunológica e biologia sintética para maximizar e ampliar o espetro de proteção que as vacinas podem fornecer contra ameaças globais, incluindo surtos de vírus existentes e futuros.

Desde o surto de SARS em 2002, a migração dos coronavírus dos animais para os seres humanos tem sido uma ameaça para a saúde pública e exige vacinas que proporcionem ampla proteção.

"Na natureza, existem muitos destes vírus à espera que aconteça um acidente", afirma, citado num comunicado da universidade sobre a investigação, Jonathan Heeney, do Departamento de Medicina Veterinária de Cambridge, que liderou a investigação, salientando que o objetivo era criar "uma vacina que não só protegesse contra o SARS-CoV-2, mas também contra todos os seus parentes".

Todas as vacinas atualmente disponíveis, como a vacina contra a gripe sazonal e as vacinas contra a Covid-19 existentes, baseiam-se em estirpes ou variantes do vírus que surgiram em algum momento no passado.

"No entanto, os vírus estão a sofrer mutações e a mudar o tempo todo", diz Heeney, cuja equipa está a desenvolver uma nova abordagem para as vacinas contra os coronavírus, visando seu "calcanhar de Aquiles", ou seja, em vez de visar apenas as proteínas "spike" do vírus, que mudam para escapar ao sistema imunitário, a vacina de Cambridge tem como alvo as regiões críticas do vírus de que este necessita para completar o seu ciclo de vida.

A equipa identifica estas regiões através de simulações em computador e da seleção de antigénios estruturalmente manipulados. "Esta abordagem permite-nos ter uma vacina com um efeito alargado que os vírus terão problemas em contornar", diz Heeney.

O antigénio otimizado é compatível com todos os sistemas de administração de vacinas: "Ao contrário das vacinas atuais que usam vírus selvagens ou partes de vírus que causaram problemas no passado, esta tecnologia combina lições aprendidas com os erros da natureza e visa proteger-nos do futuro", salienta, considerando que se trata de "um verdadeiro ponto de viragem".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+