Tempo
|
A+ / A-

Nagorno-Karabakh. Número de refugiados a chegar à Arménia ultrapassa 13 mil

26 set, 2023 - 08:32 • Lusa

O Governo arménio garante que dará acolhimento a "todos aqueles que não têm onde viver",

A+ / A-

O Governo da Arménia anunciou que chegaram ao país mais de 13 mil pessoas deslocadas pela intervenção militar do Azerbaijão no território secessionista de Nagorno-Karabakh, cuja população era de maioria arménia.

"Às 8h00 locais (5h00) de 26 de setembro, 13.350 pessoas deslocadas chegaram à Arménia vindas de Nagorno-Karabakh", afirmou o Conselho de Ministros arménio, num comunicado publicado no seu site.

"O Governo fornece alojamento a todos aqueles que não têm onde viver", afirmou o executivo do primeiro-ministro Nikol Pashinian, especificando que 11 mil refugiados já foram registados, mas que o processo irá prosseguir.

O Governo garantiu que irá disponibilizar alojamento aos deslocados, muitos dos quais estão atualmente hospedados num centro humanitário criado na cidade de Kornidzor, na fronteira com o Azerbaijão e a cerca de 150 quilómetros de Nagorno-Karabakh.

Na segunda-feira, o líder da autoproclamada república, também conhecida como Artsakh, Samvel Shahramanian, disse que muitos dos deslocados expressaram o desejo de se mudarem para casas de familiares em território arménio.

Shahramanian, citado pela rádio pública arménia, sublinhou que quem quiser partir para a Arménia poderá fazê-lo nos próximos meses.

Em 19 de setembro, o Azerbaijão anunciou o lançamento de "operações antiterroristas" no Nagorno-Karabakh, depois da morte de quatro polícias do Azerbaijão e de dois civis, na sequência da explosão de minas colocadas por "sabotadores arménios", de acordo com Baku.

No dia seguinte, as autoridades do território secessionista, abandonado por Erevan, capitularam e foi acordado um cessar-fogo.

Pelo menos 200 pessoas morreram e 400 ficaram feridas, indicaram os separatistas arménios, e Nagorno-Karabakh viu-se confrontado com uma emergência humanitária, com relatos de escassez de eletricidade, gás, combustível e alimentos.

Na sexta-feira, a Comissão Europeia anunciou uma verba de 500 mil euros para reforçar a ajuda humanitária em Nagorno-Karabakh, nomeadamente aos deslocados que fugiram dos recentes conflitos armados no enclave.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem previsto visitar esta terça-feira o enclave azerbaijanês de Nakhchivan, situado entre a Arménia e a Turquia e separado do resto do território do Azerbaijão.

Erdogan vai visitar Nakhchivana a convite do homólogo do Azerbaijão, Ilham Aliyev, noticiou a agência de notícias turca, Anatolia. Ambos os líderes vão abordar as relações bilaterais e os últimos acontecimentos em Nagorno-Karabakh.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+