Tempo
|
A+ / A-

Sismo em Marrocos. União Europeia manifesta solidariedade e oferece ajuda

09 set, 2023 - 10:46 • Lusa

Von der Leyen e Charles Michel reagiram ao "terramoto devastador" em Marrocos.

A+ / A-

A presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen, manifestou solidariedade com Marrocos e ofereceu ajuda ao país africano após o terramoto de sexta-feira à noite que causou mais de 800 mortos e 600 feridos.

"Os meus pensamentos estão com o povo marroquino face ao terrível terramoto", escreveu Von der Leyen nas redes sociais sobre o sismo de magnitude 6,9 na escala de Richter com epicentro a sudoeste de Marraquexe.

"Os meus pensamentos estão com as famílias das vítimas, com os feridos a quem desejo uma rápida recuperação e com os socorristas que estão a fazer um trabalho admirável", acrescentou, citada pela agência espanhola EFE.

O Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, descreveu a notícia do "terramoto devastador" em Marrocos como aterradora e disse que a União Europeia (UE) está pronta para ajudar o país do Norte de África.

"Os meus pensamentos estão com todas as pessoas afetadas por esta tragédia e com as equipas de salvamento envolvidas na operação de busca. A UE está pronta a apoiar Marrocos nestes tempos difíceis", afirmou.

A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, também classificou as notícias de Marrocos como devastadoras, "depois de um terramoto que matou centenas de pessoas e deixou muitas outras sem casa".

O Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Josep Borrell, também disponibilizou a Marrocos "toda a assistência que desejar".

O comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, afirmou que o Centro de Coordenação de Resposta de Emergência da UE "está a acompanhar de perto a situação".

Lenarcic disse que a UE "está pronta a prestar toda a assistência necessária, se solicitada".

O terramoto, que ocorreu a uma profundidade de 18,5 quilómetros às 23h11 locais (mesma hora em Lisboa), foi sentido em Portugal e em Espanha.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) precisou que foi sentido nos concelhos de Castro Marim, Faro, Loulé, Portimão, Vila Real de Santo António (Faro), Cascais, Lisboa, Torres Vedras, Vila Franca de Xira (Lisboa), Almada, Setúbal e Sines (Setúbal).

Foi ainda sentido com menor intensidade nos concelhos de Coimbra, em Albufeira, Olhão, Silves (Faro), Alenquer, Loures, Mafra, Oeiras, Sintra, Amadora, Odivelas (Lisboa), Santo Tirso, Vila Nova de Gaia (Porto), Santiago do Cacém, Seixal e Sesimbra (Setúbal).

[Noticia atualizada com número de mortes e feridos às 11h13]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+