Tempo
|
A+ / A-

Portugal sente sismo em Marrocos de 6,9 de magnitude

08 set, 2023 - 23:39 • João Malheiro com Lusa

Segundo o IPMA, o sismo ocorreu pelas 23h11.

A+ / A-

Portugal, nomeadamente a zona mais a sul do país, sentiu esta sexta-feira um sismo que ocorreu em Marrocos de 6,9 de magnitude, segundo o instituto responsável pela atividade sismica nos EUA (USGS).

Após revisão, o Centro Alemão de Pesquisa em Geociências (GFZ), que tinha dado a magnitude inicial de 7,0, coloca-a agora em 6,8.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o terramoto aconteceu pelas 23h11.

Gibraltar, Mauritânia, Espanha, Sara Ocidental e Argélia são outros locais que podem ter sentido um abalo devido à atividade sismica.

O IPMA coloca a marca do sismo mais baixa, nos 6,4 de magnitude.

O epicentro terá sido a 80 quilómetros a sudoeste de Marraquexe.

Segundo o IPMA, 20 minutos depois registou-se uma réplica de 4,5 de magnitude. Já o USGS, dos Estados Unidos, coloca a marca nos 4,9.

Vários edifícios ruíram devido ao abalo, em especial entre Agadir e Marraquexe. Não há ainda registo de vítimas mortais ou feridos.

Muitos populares saíram à rua, em Marrocos, por causa do acontecimento.

Portugal sem registo de danos

De acordo com o IPMA, o sismo, "até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima III/IV (escala de Mercalli modificada) nos concelhos de Castro Marim, Faro, Loulé, Portimão, Vila Real de Santo António (Faro), Cascais, Lisboa, Torres Vedras, Vila Franca de Xira (Lisboa), Almada, Setúbal e Sines (Setúbal)".

"Foi ainda sentido com menor intensidade nos concelhos de Coimbra (Coimbra), Albufeira, Olhão, Silves (Faro), Alenquer, Loures, Mafra, Oeiras, Sintra, Amadora, Odivelas (Lisboa), Santo Tirso, Vila Nova de Gaia (Porto), Santiago do Cacém, Seixal e Sesimbra (Setúbal), refere o IPMA, que admitiu a possibilidade de emitir novos comunicados sobre o assunto.

[Atualizado à 00h25]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+