Tempo
|
A+ / A-

Reino Unido vai declarar Grupo Wagner organização terrorista

06 set, 2023 - 08:44 • Lusa

Ao violar a lei antiterrorismo do país, os acusados podem enfrentar até 14 anos de prisão ou multas de até cinco mil libras esterlinas (mais de 5.850 euros).

A+ / A-

O governo do Reino Unido vai declarar o Grupo Wagner uma organização terrorista, o que significa que será ilegal ser membro ou apoiar o grupo, noticiou esta quarta-feira a emissora pública britânica BBC.

Ao violar a lei antiterrorismo do país, os acusados podem enfrentar até 14 anos de prisão ou multas de até cinco mil libras esterlinas (mais de 5.850 euros).

A ministra do Interior do Reino Unido, Suella Braverman, afirmou que o Grupo Wagner é "violento e destrutivo", bem como "um instrumento militar da Rússia de [o Presidente] Vladimir Putin", cujo trabalho na Ucrânia e em África é uma "ameaça à segurança global".

Braverman acrescentou que as "atividades desestabilizadoras em curso do Grupo Wagner continuam a servir os objetivos políticos do Kremlin": "São terroristas, pura e simplesmente, e esta ordem de proibição torna isso claro na lei".

O ministro dos Negócios Estrangeiros "sombra", David Lammy, do Partido Trabalhista, na oposição, congratulou-se com o projeto de lei, meses depois de ter instado o governo a proibir o grupo mercenário por ser "responsável por atrocidades na Ucrânia e em todo o mundo".

"O projeto de lei já devia ter sido apresentado há muito tempo, mas congratulamo-nos com o facto de o Governo ter finalmente agido. O governo deve agora pressionar para que seja criado um tribunal especial para processar [Vladimir] Putin pelo crime de agressão", reagiu Lammy.

Os milicianos do Grupo Wagner, envolvidos na invasão russa da Ucrânia, bem como na Síria e em países africanos como o Mali, têm sido acusados de uma série de crimes, incluindo assassínios e tortura de civis.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+