A+ / A-

Manto e coroa de Freddie Mercury leiloados em Londres

06 set, 2023 - 12:37 • Redação

Cerca de 1.500 bens pertencentes à coleção particular do vocalista dos Queen vão ser vendidos até 11 de setembro. O primeiro leilão decorre já esta quarta-feira.

A+ / A-

Mary Austin, amiga e herdeira de Freddie Mercury, vai leiloar cerca de 1500 objetos que pertenceram ao cantor dos Queen. Entre as peças que vão a leilão estão letras de músicas escritas à mão pelo artista, instrumentos musicais, fotografias, várias peças de vestuário usadas em palco - como os icónicos manto e coroa reais - e até um pente de bigode. Estima-se que todos os objetos possam atingir um valor na ordem dos 6,7 milhões de euros.

Os itens estiveram em exibição durante o mês de agosto e vão ser agora vendidos em seis leilões separados ao longo de um mês, realizados pela Sotheby’s, cada um dedicado a uma parte específica da vida do artista.

Mary Austin conta que a decisão de vender não foi fácil, mas que, trinta anos depois, estava na hora. "Não havia nada que Freddie Mercury gostasse mais do que um leilão", diz Austin. A também antiga noiva de Mercury decidiu, ainda, que o piano preferido do artista, o seu Yamaha Baby Grand Piano, deveria ser licitado sem reservas, para abrir a possibilidade de compra a todos os fãs dos Queen.

Piano de Freddy Mercurie. Foto: Sotheby
Piano de Freddy Mercurie. Foto: Sotheby's
Quadro de Pablo Picasso (Jaqueline au chapeau noir). Foto: Sotheby
Quadro de Pablo Picasso (Jaqueline au chapeau noir). Foto: Sotheby's
Caderno com letras de música autografadas do álbum Jazz, 1978. Foto: Sotheby
Caderno com letras de música autografadas do álbum Jazz, 1978. Foto: Sotheby's
Ténis Adidas de cano alto usados ​​por Freddie Mercury na década de 1980. Foto: Sotheby
Ténis Adidas de cano alto usados ​​por Freddie Mercury na década de 1980. Foto: Sotheby's

Parte do dinheiro arrecadado vai ser doado à Mercury Phoenix Trust (fundação sem fins lucrativos criada em honra de Freddie Mercury) e à Elton John Aids Foundation (organização sem fins lucrativos criada por Elton John para apoiar pessoas que vivem com o vírus da SIDA). Freddie Mercury, recorde-se, morreu aos 45 anos devido complicações de saúde relacionadas com o HIV.

Desde que a exposição abriu portas em Londres, no dia 4 de agosto, mais de 131.000 visitantes viajaram de todo o mundo para explorar o mundo de Freddie Mercury. As peças que foram exibidas e que vão, agora, a leilão faziam parte do seu vasto espólio e estavam na sua casa de Londres. O primeiro leilão acontece já esta quarta-feira, às 17h00, e inclui diversas obras de arte colecionadas por Mercury em vida - como quadros de Picasso, Matisse ou Miró -, bem como jóias e vestuário que usou em espetáculos. Os leilões duram até 11 de setembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+