Tempo
|
A+ / A-

EUA

Blinken faz visita surpresa à Ucrânia para anunciar novo apoio de mil milhões

06 set, 2023 - 13:19 • Reuters

Visita do secretário de Estado norte-americano a Kiev marca a primeira de uma alta figura da administração Biden à Ucrânia desde o início da contraofensiva em junho.

A+ / A-

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, visitou Kiev nesta quarta-feira, num gesto de apoio à Ucrânia, à medida que sua contraofensiva de três meses face às forças russas continua com apenas pequenas conquistas.

Durante a visita de dois dias, Blinken provavelmente anunciará um novo pacote de assistência dos EUA à Ucrânia em tempo de guerra no valor de mais de mil milhões de dólares, disse uma fonte de alto nível do Departamento de Estado norte-americano aos jornalistas durante a viagem.

Blinken, a primeira alta autoridade dos EUA a visitar Kiev desde o início da contraofensiva no começo de junho, conversou com o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, e deverá encontrar-se com o Presidente Volodymyr Zelenskiy, adiantou a mesma fonte.

"Queremos garantir que a Ucrânia tem o que precisa, não apenas sucesso na contraofensiva, mas também o que precisa a longo prazo, para garantir que tem um forte poder de dissuasão", disse Blinken ao lado de Kuleba.

"Também estamos determinados em continuar a trabalhar com os nossos parceiros [ucranianos] à medida que constroem e reconstroem uma economia forte, uma democracia forte."

Citadas pelos media, as autoridades norte-americanas disseram esta semana que a contraofensiva ucraniana tem sido muito lenta e prejudicada por más táticas - críticas que irritaram as autoridades ucranianas e levaram Kuleba a responder: "Calem a boca."

A Ucrânia retomou mais de uma dúzia de vilas e pequenas aldeias na sua contraofensiva. Mas o avanço em direção ao território controlado pela Rússia foi retardado por campos minados e trincheiras, e os ataques aéreos russos continuam em toda a Ucrânia, com Kiev atacada poucas horas antes da chegada de Blinken.

As autoridades norte-americanas não criticaram publicamente as táticas militares da Ucrânia e, na semana passada, disseram ter visto um notável progresso ucraniano nas 72 horas anteriores no sudeste do país.

A fonte do Departamento de Estado afirmou que Washington quer discutir como a contraofensiva está a evoluir e avaliar as necessidades no campo de batalha, bem como quaisquer medidas que possam ser necessárias para reforçar a segurança energética da Ucrânia antes da chegada do inverno.

"Acho que o mais importante é obtermos uma avaliação real dos próprios ucranianos", disse a fonte. "Queremos ver e ouvir como eles pretendem avançar nas próximas semanas."

Questionado sobre a visita de Blinken, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, declarou que Moscovo acredita que Washington planeia continuar a financiar os militares da Ucrânia "para travar essa guerra até o último ucraniano".

Peskov disse ainda que a ajuda dos EUA a Kiev não vai afetar o curso da "operação militar especial" da Rússia na Ucrânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+