Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

EUA. Procuradora pede julgamento sumário de Trump sobre património

31 ago, 2023 - 04:33 • Lusa

Processo envolve o ex-Presidenet norte-americano e filhos por, alegadamente, terem inflacionado o valor das propriedades para obter ganhos financeiros, como melhores condições de empréstimo.

A+ / A-

A procuradora-geral do Estado de Nova Iorque pediu um julgamento sumário parcial no processo de fraude contra o ex-presidente dos EUA Donald Trump, argumentando existirem provas suficientes para demonstrar que inflacionou o património.

A ação civil interposta por Letitia James está a ser apreciada no Supremo Tribunal de Nova Iorque, em Manhattan, e o julgamento formal marcado para 2 de outubro.

O processo envolve Trump, os filhos Donald Jr. e Eric, e a Organização Trump, por alegadamente terem inflacionado o valor das propriedades para obter ganhos financeiros, como melhores condições de empréstimo.

A procuradora-geral apresentou uma moção ao juiz Arthur Engoron a pedir um julgamento sumário parcial contra Trump, argumentando que há uma "montanha de provas incontestáveis" de que este emitiu documentos falsos sobre a sua riqueza durante dez anos, incluindo aqueles em que foi presidente, noticiou a cadeia de televisão norte-americana CNBC.

Letitia James, que instaurou o processo no ano passado, exige que os arguidos paguem uma multa de 250 milhões de dólares (228 milhões de euros) em benefícios financeiros e também que a seja restringida a capacidade de conduzir negócios em Nova Iorque.

O juiz Engoron marcou uma audiência para 22 de setembro, mas ainda que dê provimento à moção do Ministério Público para um julgamento sumário, será ainda realizado um julgamento sem jurados para tratar de outras questões do processo, a menos que as partes cheguem a acordo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+