Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Espanha

Feijóo e Sánchez reunidos esta quarta-feira no Parlamento

29 ago, 2023 - 15:12 • Lusa

Ronda com partidos arranca dias depois de líder do PP ter pedido encontro ao líder do PSOE, após ter vencido sem maioria as eleições de julho.

A+ / A-

O líder do Partido Popular espanhol, Alberto Feijóo, e o primeiro-ministro de Espanha em funções, Pedro Sánchez, vão reunir-se na quarta-feira às 10h00 (09h00 em Lisboa), no Parlamento, em Madrid, disseram à EFE fontes partidárias.

A reunião ocorre um dia depois do líder do Partido Popular (PP) ter contactado Sánchez, através da rede social WhatsApp, solicitando uma reunião no quadro da ronda de contactos promovida por Feijóo no sentido de alcançar apoios para a eventual investidura como chefe do Governo de Espanha.

Fontes do PP afirmaram que no primeiro contacto, Feijóo sugeriu a Sánchez uma "conversa telefónica" sobre o assunto.

Segundo fontes socialistas, o primeiro-ministro em funções e líder do PSOE concordou com o contacto e propôs três datas, incluindo o dia de hoje, quarta-feira ou quinta-feira, deixando a marcação definitiva a cargo dos chefes de gabinete dos dois partidos.

Segundo a EFE, a data da reunião ficou marcada para as 10h00 de quarta-feira (09h00 em Lisboa) no Congresso dos Deputados (Parlamento espanhol).

Para o PP o encontro entre os dois líderes é próprio da "normalidade democrática" e vai "marcar a agenda posterior às eleições do passado dia 23 de julho" assim como a "atualidade" que antecede o debate da (eventual) tomada de posse marcado para o dia 26 de setembro.

Feijóo já disse a Sánchez, durante a campanha eleitoral, que o PP e o PSOE deveriam trabalhar num modelo que "facilite a investidura 'da lista' mais votada".

De acordo com as fontes do PP, a mesma posição vai ser comunicada por Feijóo a Pedro Sánchez na reunião de quarta-feira.

Já a porta-voz do partido socialista (PSOE), Pilar Alegría, confirmou na segunda-feira a disponibilidade para a reunião com Feijóo, mas reiterou que a investidura do líder do PP como primeiro-ministro pelo Parlamento está "condenada ao fracasso", por falta do apoio maioritário dos deputados.

Ronda para conseguir aprovar Governo

Com Sánchez, Feijóo inicia uma ronda de contactos com partidos com representação parlamentar, depois de ter sido indicado na semana passada pelo Rei de Espanha como candidato a primeiro-ministro a ser votado pelo plenário dos deputados.


O PP foi o partido mais votado nas eleições de 23 de julho, mas sem maioria absoluta, que também não consegue com o apoio dos partidos que até agora garantiram o voto a favor na investidura de Feijóo.

Para conseguir ser eleito primeiro-ministro, Feijóo teria de contar com a abstenção de deputados de esquerda ou de nacionalistas e separatistas.

O líder do PSOE, Pedro Sánchez, disse na semana passada acreditar que tem condições para reunir os apoios parlamentares necessários para voltar a encabeçar o governo de Espanha.

Sánchez disse que o PSOE acredita "ter condições para reunir os apoios parlamentares exigidos" para voltar a formar governo, "como ficou comprovado" em 17 de agosto, durante a eleição da presidência do Congresso dos Deputados (o Parlamento espanhol), que ficou nas mãos dos socialistas.

O PSOE foi o segundo mais votado nas eleições de 23 de julho, mas tem mais apoios no Parlamento do que o PP, pelo que aspira a formar governo com os votos dos deputados de uma 'geringonça' de forças regionalistas, nacionalistas e independentistas.

Se a investidura de Feijóo como primeiro-ministro falhar, o Rei de Espanha poderá indicar outro candidato ao cargo ao Parlamento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+