Tempo
|
A+ / A-

Estados Unidos desvalorizam alargamento do bloco BRICS

24 ago, 2023 - 22:29

Os BRICS [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] integrarão em breve, além do Irão, a Argentina, Etiópia, Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes Unidos.

A+ / A-

Os Estados Unidos desvalorizaram, esta quinta-feira, o anunciado alargamento para 11 membros do bloco de países emergentes conhecido como BRICS, afirmando que continuarão a trabalhar com os seus parceiros em todo o mundo.

Numa cimeira na África do Sul, os BRICS - que incluem a Rússia e a China, grandes rivais dos Estados Unidos - anunciaram que seis novos membros seriam admitidos no bloco a partir de janeiro, incluindo o Irão, outro dos adversários de Washington desde a Revolução Islâmica de 1979.

Os BRICS [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] integrarão em breve, além do Irão, a Argentina, Etiópia, Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes Unidos.

"Os Estados Unidos reafirmam a sua convicção de que os países são livres de escolher os seus parceiros e os grupos a que se juntam", disse um porta-voz do Departamento de Estado.

"Continuaremos a trabalhar com os nossos parceiros e aliados a nível bilateral, regional e multilateral para reforçar a nossa prosperidade partilhada e manter a paz e a segurança globais", acrescentou o porta-voz.

A Índia foi recentemente cortejada com insistência pelos Estados Unidos, que veem interesses comuns entre os dois países.

No próximo mês, Nova Deli acolherá a cimeira do G20, que reúne as grandes potências mundiais e as principais economias em desenvolvimento.

O conselheiro de segurança nacional de Joe Biden, Jake Sullivan, discutiu hoje a cimeira do G20 e o apoio à Ucrânia numa reunião na Casa Branca, com os seus homólogos alemão, britânico, francês e italiano.

As potências ocidentais esperam "resultados fortes" em Nova Deli, que "demonstrem o papel do G20 como o principal fórum de cooperação económica, impulsionando uma agenda positiva e ambiciosa para os países emergentes e em desenvolvimento", afirmou a Casa Branca em comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+