A+ / A-

Ucrânia diz que ataques russos destruíram 270 mil toneladas de cereais num mês

23 ago, 2023 - 15:17 • Lusa

Na noite passada o exército russo realizou um ataque contra o porto de Izmail, no rio Danúbio, que provocou a destruição de 13 mil toneladas de cereais.

A+ / A-

Os repetidos ataques russos aos portos marítimos e fluviais ucranianos destruíram 270.000 toneladas de cereais num mês, avançou esta quarta-feira o ministro das Infraestruturas ucraniano, Oleksandr Kubrakov.

"No total, foram destruídas 270.000 toneladas de cereais durante um mês de ataques aos portos", disse o ministro numa mensagem publicada na rede social Facebook, denunciando que tais ataques são agressões "contra os países de África e da Ásia, que já carecem de alimentos".

Os bombardeamentos russos em grande escala - oito no total, segundo Kubrakov - começaram depois de a Rússia ter abandonado unilateralmente, em julho, um acordo que permitiu à Ucrânia exportar a sua produção de cereais, essencial para a segurança alimentar mundial.

A chamada Iniciativa dos Cereais do Mar Negro, acordo firmado no ano passado sob mediação das Nações Unidas e da Turquia, contribuiu igualmente para fazer baixar os preços globais dos alimentos e proporcionou aos ucranianos grandes receitas.

Durante a noite passada, o exército russo realizou um novo ataque contra o porto de Izmail, no Danúbio, que desagua no Mar Negro, onde as forças de Moscovo estão presentes em grande escala, tendo destruído 13.000 toneladas de cereais, de acordo com Kubrakov.

"Vários terminais de cereais e armazéns privados foram danificados, assim como infraestruturas de carga", acrescentou o ministro ucraniano.

Na terça-feira, a Rússia assegurou ter destruído dois navios militares ucranianos no Mar Negro, nos mais recentes confrontos marítimos desde que o acordo de exportação de cereais ucranianos foi suspenso.

Na semana passada, no dia 17 de agosto, o primeiro cargueiro saído da Ucrânia após o fim do acordo sobre cereais chegou a águas turcas, apesar do cerco russo.

O porta-contentores "Joseph Schulte", com pavilhão de Hong Kong, partiu do porto ucraniano de Odessa, desafiando a Rússia, que ameaçou atacar tais embarcações desde que pôs fim ao acordo.

Antes disso, a Rússia tinha disparado tiros de advertência em 13 de agosto contra um navio cargueiro de uma empresa turca que se dirigia para o porto de Izmail, no sul da Ucrânia.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+