A+ / A-

Nova rede social Threads, rival do Twitter, em queda livre

17 ago, 2023 - 18:19 • Sandra Afonso

O Threads foi lançado em julho, para derrubar o X (antigo Twitter), mas no espaço de um mês perdeu quase 80% dos utilizadores.

A+ / A-

A rede Threads foi lançada em julho pela Meta, dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, que prometeu uma nova rede social, revolucionária, que iria derrubar o X, antigo Twitter. Em poucos dias captou milhões de utilizadores mas, passado um mês, entre 7 de julho e 7 de agosto, os números caíram a pique quase 80%.

O efeito novidade parece ter passado para a rede Threads, que pretendia criar uma interação imediata entre utilizadores do Instagram, mas substituindo a imagem pelo texto, tal como faz o Twitter.

Segundo as contas da Similarweb, em 30 dias a rede passou de 49,3 milhões de utilizadores ativos diários para uma média de 10,3 milhões. Nos Estados Unidos, as interações chegaram a atingir 21 minutos em média, agora estão nos três minutos.

Já a rede social X, de Elon Musk, tem 100 milhões de utilizadores ativos por dia, em média, que passam cerca de 25 minutos na aplicação.

A Meta já veio dizer que está a preparar novas funcionalidades para a rede Threads, que podem ajudar a recuperar alguns dos utilizadores.

A nova rede de Mark Zuckerberg foi lançada em cerca de uma centena de países, à exceção da Europa. O dono da Meta temia que não respeitasse os regulamentos de proteção de dados da União Europeia.

O rival, Elon Musk, foi dos primeiros a criticar o Threads, que acusou de não ser suficientemente seguro e que iria "recolher todo o tipo de dados dos utilizadores, incluindo identidade, saúde, forma física, situação financeira, localização, gastos, contactos e informações sensíveis".

Para a Similarweb, ainda é cedo para tirar conclusões sobre os resultados desastrosos do primeiro mês.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+