Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Dinamarca deteta dois bombardeiros russos que se dirigiam para espaço aéreo dos Países Baixos

14 ago, 2023 - 15:19 • Redação com Lusa

As aeronaves russas acabaram “por dar a volta” após aparecimento de caças F-16 neerlandeses.

A+ / A-

Caças F-16 neerlandeses descolaram esta segunda-feira de manhã para intercetar dois bombardeiros russos que se dirigiam para o espaço aéreo do país, e consequentemente da NATO, e que foram detetados pela Dinamarca, divulgaram os Países Baixos.

As aeronaves russas acabaram “por dar a volta”, afastando-se do espaço aéreo da Aliança Atlântica, informou o Governo neerlandês.

Num comunicado, o Ministério da Defesa dos Países Baixos explicou que os dois F-16 da Força Aérea neerlandesa descolaram esta segunda-feira de manhã para “intercetar dois bombardeiros russos que voavam em direção ao espaço aéreo” do país, precisando que o destacamento dos dois caças surgiu na sequência do chamado Alerta de Reação Rápida, acionado às 07h19 locais (06h19 em Lisboa).

“Isto não acontece muitas vezes, mas o incidente de segunda-feira demonstra a importância de uma intervenção rápida. Os F-16 estão de prontidão 24 horas por dia e podem descolar em poucos minutos e intercetar um avião não identificado”, afirmou o ministério neerlandês.

Em reação, o Ministério da Defesa da Rússia indica que os bombardeiros desempenhavam "voos de rotina" em águas internacionais do Oceano Ártico e que "todos os voos voos cumprem os regulamentos internacionais".

Os bombardeiros russos foram detetados e intercetados pelas forças dinamarquesas e já “voltaram para trás”, afastando-se do território dos aliados da NATO, enquanto os F-16 neerlandeses regressaram e aterraram na base aérea de Volkel, “prontos a proteger a área de responsabilidade” dos Países Baixos, acrescentou a mesma nota informativa.

Ao abrigo de um acordo de policiamento aéreo da NATO, desde janeiro de 2017, que os Países Baixos e a Bélgica assumem alternadamente, e durante um período de quatro meses, a tarefa de proteger o espaço aéreo de toda a zona do Benelux, que inclui o Luxemburgo. As forças neerlandesas estão a assumir esta função desde meados de abril.

[notícia atualizada às 15h46]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+