Tempo
|
A+ / A-

Iraque suspende uso do Telegram em nome da "segurança nacional"

08 ago, 2023 - 10:35 • Lusa

A aplicação de mensagens foi suspensa no domingo devido a "fuga de dados de instituições estatais e de pessoas", avança o Ministério das Telecomunicações iraquiano.

A+ / A-

O governo iraquiano suspendeu o uso do Telegram em todo o país por considerar prejudicial para a “segurança nacional”. A decisão foi criticada pelos grupos de propaganda de fações pró-iranianas que utilizam amplamente a aplicação.

O Ministério das Telecomunicações iraquiano explicou a suspensão invocando "diretivas de autoridades superiores relacionadas com a segurança nacional".

Segundo o Ministério, em causa está também a "proteção dos dados pessoais dos cidadãos, [que são] violados pela aplicação".

O governo iraquiano avança que pediu por diversas vezes ao Telegram para resolver o problema da "fuga de dados de instituições estatais e de pessoas, [que] constitui uma ameaça para a segurança nacional e a paz social", mas a empresa "não respondeu".

O Telegram é bastante popular no Iraque. A aplicação é utilizada como plataforma de propaganda pelos grupos ligados a fações armadas e partidos políticos pró-iranianos.

Um desses grupos protestou contra a suspensão do serviço, afirmando que se tratava de uma "ordem de amordaçamento". O grupo, que conta com mais de 330 mil subscritores, reclama também a "privação das liberdades" por parte do Governo iraquiano.

Depois de quatro décadas de conflito, o Iraque recuperou uma relativa estabilidade, mas as autoridades são regularmente criticadas por ONG e ativistas devido a violações da liberdade de expressão.

No mês passado, a Amnistia Internacional manifestou-se alarmada com o facto de o Governo iraquiano estar a planear apresentar ao Parlamento dois projetos de lei que, se aprovados, vão "restringir gravemente os direitos à liberdade de expressão e de reunião pacífica".

A ONG considerou ainda que a apresentação destes projetos aos representantes eleitos "coincide com uma série de julgamentos de pessoas que criticam membros do Governo".

O Telegram já foi bloqueado noutros países. Em abril, o serviço de mensagens foi suspenso no Brasil por não ter fornecido dados sobre grupos neonazis ativos na aplicação. A medida foi anulada em recurso dois dias depois.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+