Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Guerra

Cereais da Ucrânia. Roménia denuncia ataques "cínicos" da Rússia

07 ago, 2023 - 15:06 • João Pedro Quesado

Pela Roménia tem passado grande parte dos cereais ucranianos exportados através dos corredores solidários da União Europeia. A Rússia abandonou o pacto de exportação e tem atacado as infraestruturas de armazenamento.

A+ / A-

A ministra dos Negócios Estrangeiros da Roménia descreveu esta segunda-feira como "muito séria" a situação de insegurança na região do Mar Negro, e apelidou os ataques russos de "cínicos". De acordo com o Politico, o país do leste europeu está a colaborar com a Ucrânia para transportar mais dos cereais produzidos pelo país que a Rússia invadiu.

A ministra Luminița-Teodora Odobescu afirma que Moscovo está "seriamente a impedir as exportações de cereais da Ucrânia, que são uma tábua de salvação para pessoas vulneráveis em muitos países que os importam", o que, por sua vez, está a "exacerbar a crise alimentar mundial".

Odobescu sublinha os esforços de Bucareste nos últimos meses para aumentar a passagem de cereais ucranianos pela Roménia, incluindo a expansão da capacidade dos portos e nos pontos de atravessamento das fronteiras.

"Demora tempo a ver os resultados", declara a ministra dos Negócios Estrangeiros acerca destes esforços, levados a cabo com o apoio da Comissão Europeia.

A responsável diz ainda que a Roménia está a coordenar-se com a Ucrânia para "ver como podemos fazer mais". Os dois países devem levar a cabo negociações sobre o tema esta semana.

Mais de metade das exportações da Ucrânia através dos corredores solidários da União Europeia - estabelecidos para facilitar o trânsito das mercadorias por estrada, via férrea e ainda fluvial - atravessaram a Roménia.

A Comissão Europeia estima que mais de 65% dos cereais exportados desta forma em junho viajaram pelo corredor do rio Danúbio, que atravessa a Europa desde a Alemanha até desaguar no Mar Negro, na fronteira entre a Roménia e a Ucrânia.

Europa entre o apoio e a resistência

A Rússia abandonou o acordo de cereais em julho, aumentando os receios acerca das futuras exportações de cereais da Ucrânia e o impacto na segurança alimentar, particularmente em África.

Nas últimas semanas, as forças do Kremlin têm repetidamente atacado infraestruturas ucranianas de armazenamento de cereais, incluindo no rio Danúbio, perto do território romeno, o que tem originado mais preocupação sobre como a Ucrânia pode exportar cereais para o mercado mundial.

Apesar dos países europeus estarem a apoiar o transporte dos cereais, várias nações da Europa central e de leste têm apontado preocupações sobre a chegada de cereais ucranianos aos seus mercados domésticos.

Em junho, a Comissão Europeia prolongou a proibição de exportar cereais da Ucrânia para a Roménia, a Polónia, a Bulgária, a Hungria e a Eslováquia até 15 de setembro.

A ministra dos Negócios Estrangeiros da Roménia considera que é necessário encontrar "o equilíbrio certo" para estas restrições, já que é preciso "continuar o nosso apoio à Ucrânia na ajuda ao transporte dos cereais", mas são precisas soluções para "ajudar financeiramente os agricultores nas regiões afetadas".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+