Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

EUA

Trump diz que novas acusações só o vão ajudar na corrida presidencial

05 ago, 2023 - 08:14 • Lusa

No seu discurso no Alabama, o empresário descreveu a acusação como "ridícula" e ilegal e sinal da instrumentalização do Departamento de Justiça pelo atual Presidente norte-americano, o democrata Joe Biden.

A+ / A-

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump disse, na sexta-feira à noite, num jantar do Partido Republicano, que as novas acusações judiciais apenas servirão para o ajudar na corrida às presidenciais de 2024.

"Sempre que eles apresentam uma acusação, subimos nas sondagens", disse Trump no estado do Alabama, no sudeste dos EUA. "Mais uma acusação e esta eleição está fechada. Ninguém tem sequer uma possibilidade", acrescentou.

Apesar dos processos que se acumulam, o empresário continua a ser o favorito à nomeação republicana e ainda ampliou a distância para o 'número 2', o governador da Florida, Ron DeSantis, após a mais recente acusação.

O magnata declarou-se na quinta-feira "não culpado" num processo, que decorre em Washington, e em que é acusado de uma conspiração para tentar alterar o resultado das eleições presidenciais de 2020, das quais saiu derrotado.

"Muitos desses processos (...) poderiam ter sido apresentados há dois anos e meio. Mas não queriam apresentá-los há dois anos e meio, queriam esperar. (...) E esperaram até que me tornei a força dominante nas sondagens ", disse Trump.

No seu discurso no Alabama, o empresário descreveu a acusação como "ridícula" e ilegal e sinal da instrumentalização do Departamento de Justiça pelo atual Presidente norte-americano, o democrata Joe Biden.

"Este é um ato desesperado de um patético Joe Biden -- 'O Crápula' -- e dos seus bandidos radicais de esquerda para manterem as suas garras no poder", acrescentou o republicano de 77 anos.

Biden " é um ladrão corrupto e incompetente, e não deveria ter permissão para ser Presidente", disse Trump, perante cerca de 2.700 pessoas, acusando ainda alguns republicanos de serem "idiotas fracos".

Na sexta-feira, a campanha do magnata lançou um anúncio online a atacar o procurador especial do Departamento de Justiça, Jack Smith, que liderou a investigação que culminou na acusação de conspiração.

No mesmo dia, o Departamento de Justiça pediu à juíza federal que tem em mãos o caso para intervir, após Trump ter feito uma publicação na Internet em que prometia vingança contra quem o acusa.

Horas antes do discurso no Alabama, Trump tinha também proclamado a sua inocência em novas acusações, divulgadas no final de julho, no caso sobre a alegada gestão negligente de documentos confidenciais da Casa Branca.

O ex-presidente é alvo de 37 acusações neste processo, incluindo retenção ilegal de informações relacionadas com a segurança nacional (nomeadamente planos militares ou informações sobre armas nucleares), obstrução da justiça e falso testemunho.

O empresário foi também indiciado de falsificar documentos comerciais num caso que envolveu a atriz pornográfica Stormy Daniels, com quem Trump teve um caso em 2006, num processo que decorre em Nova Iorque.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+