Tempo
|
A+ / A-

Alterações Climáticas

“Acabou o aquecimento global. Começou a era da ebulição global”, diz Guterres

27 jul, 2023 - 21:14 • Beatriz Pereira

“Este ar não é respirável, o calor não se aguenta e o nível de inação é inaceitável", disse o secretário-geral da ONU depois de ter sido divulgado a informação de que o mês de julho deste ano poderá tornar-se no mais quente de sempre.

A+ / A-

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou esta quinta-feira que as elevadas temperaturas registadas durante o mês de julho- a caminho de ser o mais quente de sempre- vão dar lugar “era da ebulição”, em substituição da era do “aquecimento global”.

"As alterações climáticas estão aí. É assustador e são apenas o início”, disse António Guterres.

A declaração feita pelo secretário-geral surge depois de cientistas terem confirmado nesta quinta-feira que as últimas três semanas foram as mais quentes algumas vez registadas.

"Hoje, a Organização Meteorológica Mundial e o serviço europeu Copernicus, para as alterações climáticas, divulgaram dados oficiais que confirmam que o mês de julho pode vir a ser o mais quente de sempre na História da humanidade. Segundos os dados de hoje, o mês de julho já teve as três semanas mais quentes de sempre, os três dias mais quentes e a mais alta temperatura da água do mar alguma vez registada para esta altura do ano", explica.

Guterres fez referência ao “verdadeiro desastre” que tem acontecido em várias zonas do mundo, como a “América do Norte, a Ásia, África e a Europa”, em que o verão tem sido “cruel”. “Este ar não é respirável, o calor não se aguenta e o nível de inação é inaceitável", atira.

Para o líder da ONU, “não há mais tempo”. “Chega de hesitação. Chega de desculpas. Chega de esperar que os outros tomem a iniciativa”, disse, criticamente.

No entanto, lembra que “ainda se pode evitar o pior”, mas para isso, é necessário ter “ações drásticas e imediatas”.

Várias zonas do mundo têm sido fustigadas por incêndios, mas também por tufões e tempestades.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+