Tempo
|
A+ / A-

Putin admite regresso ao acordo sobre cereais, com condições

19 jul, 2023 - 21:14 • Redação, com Lusa

Presidente russo assegura estar preparado para regressar ao acordo sobre a exportação de cereais ucranianos caso os seus pedidos sejam concretizados "na totalidade".

A+ / A-

O Presidente russo, Vladimir Putin, acusou esta quarta-feira os países ocidentais de desviar o acordo de cereais do Mar Negro para os seus próprios fins.

"O Ocidente e perverteu completamente essa essência e, em vez de ajudar os países realmente necessitados, o Ocidente usou o acordo para chantagem política e, além disso fez dele uma ferramenta para enriquecer multinacionais”, declarou o líder Russo.

Porém a Rússia admite retornar imediatamente ao acordo se todas as suas condições forem atendidas.

Moscovo reclama a reintegração do seu banco agrícola, Rosselkhozbank, no sistema bancário internacional SWIFT, o levantamento das sanções sobre as peças sobresselentes para a maquinaria agrícola, o desbloqueio da logística de transportes e dos seguros e o descongelamento de ativos.

Reivindica ainda o recomeço do funcionamento da conduta que liga a cidade russa de Togliatti a Odessa destinada à exportação de amoníaco, componente decisivo dos fertilizantes.

"Se todas essas condições forem cumpridas, com as quais concordamos anteriormente, retornaremos imediatamente ao acordo", disse o líder do Kremlin.

Além disso, o Ministério dos negócios estrangeiros da Rússia deu às Nações Unidas, três meses para implementar as condições impostas se quisesse que a Rússia voltasse ao acordo de cereais.

Anteriormente, o Ministério da Defesa Russo disse que Moscovo vai começar a considerar que todos os navios que se dirigissem aos portos ucranianos eram vistos como potenciais transportadores de cargas militares.

Segundo Putin, o acordo cerealífero provocou perdas avaliadas em 1,2 mil milhões de dólares (cerca de mil milhões de euros) aos agricultores russos e uma baixa de rentabilidade das exportações.

"O nosso país está em condições de substituir os cereais ucranianos, em simultâneo comercialmente e gratuitamente", prosseguiu Putin, que prevê uma "colheita recorde" em 2023.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    20 jul, 2023 Lisboa 09:46
    Mantenho o que já disse antes: façam avançar uma esquadra NATO para a zona, com apoio aéreo, e escoltem esses Mercantes. Quanto a Putin e à sua nova chantagem, mandem-no vender chuchas para a porta da Maternidade.

Destaques V+