A+ / A-

Brasil desmantela rede de troca de malas no aeroporto para enviar cocaína para a Europa

18 jul, 2023 - 19:55 • Lusa

Os detidos são responsáveis pelo envio de mais de 120 quilos de cocaína para a Europa.

A+ / A-

A Polícia Federal do Brasil realizou hoje 18 mandados de prisão no estado de São Paulo, numa operação que visa desarticular uma organização criminosa que enviava cocaína para países europeus, incluindo Portugal, trocando malas de passageiros no aeroporto.

"Informamos que foram cumpridos 18 mandados de prisão, sendo dois mandados de preventiva e 16 mandados de temporária. Duas pessoas com mandados de prisão temporária estão foragidas. Foram cumpridos também 27 mandados de busca e apreensão", indicou a Polícia Federal (PF) brasileira, em comunicado.

Os detidos são responsáveis pelo envio de mais de 120 quilos de cocaína para a Europa.

As autoridades brasileiras recordaram que em março, duas brasileiras ficaram 38 dias presas injustamente numa prisão em Frankfurt, na Alemanha, num caso que teve grande repercussão no Brasil.

As duas brasileiras foram presas ao aterrarem na Alemanha por ter sido encontrada cocaína em malas que tinham os nomes delas.

"Ocorre que as malas não eram delas, houve a retirada das etiquetas de suas malas regulares e sua colocação em malas contendo cocaína em seu interior", recordou a PF, acrescentando que já em março deteve funcionários do Aeroporto Internacional de Guarulhos que faziam parte do esquema da rede criminosa.

"O caso gerou grande repercussão e o aprofundamento das investigações levou a Polícia Federal no Aeroporto Internacional de Guarulhos a identificar os mandantes do crime, bem como outros integrantes da organização criminosa, que também teriam enviado cocaína em outras duas oportunidades, uma para Portugal, em outubro de 2022, e outra para a França, em março deste ano", detalharam as autoridades.

 .

MIM // JH.

Lusa/Fim.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+