Tempo
|
A+ / A-

Itália

Cerca de 1.400 migrantes chegaram nas últimas 24 horas a Lampedusa

16 jul, 2023 - 16:28 • Lusa

No centro de acolhimento da ilha italiana, a poucas milhas da costa do norte de África, estão agora cerca de 2.200 migrantes, entre eles 800 menores não acompanhados

A+ / A-

Cerca de 1.400 migrantes chegaram nas últimas 24 horas à ilha italiana de Lampedusa, elevando para mais de 2.200 as pessoas alojadas no centro de acolhimento, foi este domingo anunciado.

O desembarque de migrantes em Lampedusa prossegue sem interrupção, com uma média de mais de mil por dia. Durante a noite de sábado, 485 migrantes chegaram a bordo de 11 embarcações e, durante o dia, registaram-se mais 22 desembarques na ilha, num total de 947 pessoas, noticiaram os meios de comunicação locais.

A bordo das embarcações, localizadas pela Guarda Costeira e pela Guarda das Finanças italianas, encontravam-se entre 33 e 55 migrantes, incluindo mulheres e crianças, que explicaram ter partido de Sfax, na Tunísia, e serem originários do Benim, Costa do Marfim, Burkina Faso, Camarões, Gâmbia, Mali, Guiné, Senegal e Nigéria.

No centro de acolhimento da ilha, a poucas milhas da costa do norte de África, estão agora cerca de 2.200 migrantes, entre eles 800 menores não acompanhados, e apesar das sucessivas transferências para outras localidades não conseguem esvaziar este espaço com capacidade para apenas 400 pessoas.

Entretanto, o navio "Geo Barents", dos Médicos Sem Fronteiras, resgatou 282 pessoas em sete operações no espaço de poucas horas e aguarda agora que as autoridades italianas concedam um porto para as desembarcar.

Também o barco humanitário "Rise Above", da organização não-governamental alemã "Mission Lifeline", com 77 migrantes a bordo, incluindo 10 mulheres, uma criança pequena e um bebé, está a dirigir-se para o porto de Vibo Valentia, na Calábria.

De acordo com o último relatório da Frontex, a agência europeia de controlo das fronteiras e da guarda costeira, estima-se que as chegadas ao Mediterrâneo central tenham aumentado 140% nos últimos seis meses e 85% só em junho.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, a primeira-ministra italiana Giorgia Meloni e o primeiro-ministro neerlandês, Mark Rutte, viajam segunda-feira para a Tunísia no âmbito do diálogo para a assinatura do Memorando de Entendimento com o presidente, Kais Saied, que contém um ponto importante sobre o controlo da imigração.

De acordo com os últimos dados de 14 de julho fornecidos pelo Ministério do Interior italiano, no corrente ano 75.065 migrantes chegaram às costas do país, enquanto no mesmo período em 2022, foram registados 31.920.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+