A+ / A-

Zelensky. "Ucrânia merece estar na NATO e precisa de um sinal claro"

11 jul, 2023 - 01:09 • Lusa

Presidente ucraniano diz que a Ucrânia precisa de "um sinal claro" de que a Aliança Atlântica integrará o país no final da guerra.

A+ / A-

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, defendeu esta segunda-feira, antes do início da cimeira da NATO, que a Ucrânia "merece estar" na Aliança Atlântica, instando os membros a darem "um sinal claro" de que será integrada no final da guerra.

"Todos entendem. Cada líder, cada Estado. Mesmo que existam posições diferentes, é claro que a Ucrânia merece estar na Aliança", sublinhou Zelensky, no seu último discurso à nação antes da cimeira da NATO, que começa esta terça-feira em Vílnius.

Volodymyr Zelensky lembrou que enquanto durar a guerra não será possível a integração na Aliança Atlântica, mas frisou que a Ucrânia precisa de "um sinal claro" agora.

Para o chefe de Estado ucraniano, o seu país já faz parte "de facto" na NATO.

"A segurança do flanco leste da NATO depende da Ucrânia", reiterou, recordando ainda que a Ucrânia partilha a missão da Aliança de se defender da Rússia com o armamento dos países já membros.

"Vílnius tem que confirmar isso", atirou Zelensky, acrescentando que está a trabalhar com os países da NATO "nas palavras específicas" da confirmação que Kiev espera receber na cimeira de 11 e 12 de julho.

Zelensky explicou que o seu objetivo na capital lituana é encontrar uma fórmula que permita à Ucrânia ingressar na Aliança Atlântica "da maneira mais clara e rápida possível".

O governante ucraniano referiu ainda que irá pedir aos seus aliados nova ajuda militar para proteger as cidades ucranianas de ataques aéreos russos e mais armas para avançar na sua contraofensiva.

"As nossas armas são as armas da Aliança. Os nossos valores são aquilo em que a Aliança acredita. A nossa defesa é o próprio elemento da fórmula da Europa que a torna unida, livre e pacífica", sublinhou Zelensky.

Depois de ameaçar a possibilidade de não participar na cimeira de Vílnius, caso não lhe fosse concedido o convite para integrar a Aliança depois da guerra, Zelensky confirmou a presença na capital lituana, de acordo com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou no domingo esperar "o melhor resultado possível" da cimeira da NATO em Vilnius, sendo que a Ucrânia deve receber garantias de apoio do Ocidente face à agressão russa.

Um responsável ocidental, que solicitou anonimato, referiu à agência noticiosa France-Presse (AFP) que a NATO está pronta para "remover um grande obstáculo" ao pedido de adesão da Ucrânia à Aliança Atlântica. Segundo a mesma fonte, os aliados "estão prontos" para retirar o requisito do plano de ação para a adesão da Ucrânia.

O plano de ação, prosseguiu a fonte citada pela AFP, "é apenas uma das fases" do processo de adesão à aliança e, mesmo que seja suprimido, a Ucrânia "terá ainda de efetuar outras reformas" antes de aderir à NATO.

De acordo com as agências internacionais, Joe Biden, o Presidente dos Estados Unidos deve encontrar-se pessoalmente, na quarta-feira, com o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, durante a cimeira, na Lituânia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+