Tempo
|
A+ / A-

Turquia. Erdogan apoia adesão da Suécia à NATO

10 jul, 2023 - 20:51 • Diogo Camilo

Decisão foi anunciada pelo líder da aliança militar, Jens Stoltenberg, que acrescentou que o Erdogan vai reencaminhar a candidatura da Suécia à NATO ao parlamento turco e "assegurar a sua ratificação".

A+ / A-

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, aceitou esta segunda-feira apoiar a adesão da Suécia à NATO.

A novidade foi anunciada pelo líder da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, em briefing, acrescentando que irá reencaminhar a candidatura da Suécia ao parlamento turco e "assegurar a sua ratificação".

Num passo inesperado, esta segunda-feira o chefe de Estado turco indicou que abriria caminho à entrada da Suécia na NATO caso a União Europeia aceitasse a adesão do país ao bloco europeu. A adesão da Turquia à UE está congelada há vários anos, após as negociações terem sido lançadas em 2005 sob o primeiro mandato de Recep Tayyip Erdogan como primeiro-ministro.

Em resposta, Stoltenberg indicou que as duas decisões não estão relacionadas. Depois de anos sem pertencerem à aliança atlântica, a Suécia e a Finlândia abandonaram a sua postura de não-alinhamento militar no ano passado, candidatando-se a Estados-membros da NATO após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

A adesão dos finlandeses foi firmada em abril, mas tanto a Turquia como a Hungria continuam a bloquear a entrada de Estocolmo, que pretende garantir a adesão à NATO na cimeira desta semana.

Para um país aderir à NATO, é necessário total consenso de todos os Estados-membros da aliança militar.

Na conferência de imprensa na noite desta segunda-feira, Stoltenberg indicou que não ainda data para que a entrada da Suécia na NATO, que está dependente da retificação no parlamento turco.

"Um passo muito grande". Suécia reage à decisão da Turquia

A Suécia reagiu esta segunda-feira com satisfação ao anúncio de Stoltenberg, considerando que este é um “passo muito grande” para a adesão do país à NATO.

“Sabe muito bem, este foi o meu objetivo durante muito tempo e penso que tivemos uma bela resposta hoje, com um passo muito grande em direção à adesão”, disse o primeiro-ministro sueco, Ulf Kristersson, após as declarações do secretário-geral da aliança.

Em reação, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, aclamou a decisão da Turquia, indicando que está pronto para trabalhar com Erdogan e que se reunirá com o presidente turco esta terça-feira.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    10 jul, 2023 Lisboa 21:40
    Pergunto-me o que tiveram de dar ao chantagista do Erdogan, para ele mudar de ideias. Em todo o caso, Bem-Vinda, Suécia. Não tem um exército cheio de experiência, mas tem uma das melhores industrias de defesa da Europa com uma grande produção de excelente material de guerra. Uma boa aquisição, principalmente quando a NATO quer por em prontidão na Europa, um exército permanente de 300 000 Soldados por oposição aos 40 000 atualmente existentes. Putin e a Rússia sempre a perder. E quando a Ucrânia se juntar à NATO... Aí é que a Rússia vai deitar as mãos à cabeça, até porque as ameaças que já anda a fazer, estão a ser positivamente ignoradas. As coisas mudaram e na Europa poucos ou nenhuns Países ainda têm medo da Rússia.

Destaques V+