A+ / A-

Cimeira em Vilnius

“Absurdo”. Zelensky critica caminho incerto para Ucrânia entrar na NATO

11 jul, 2023 - 14:14 • João Pedro Quesado com Lusa

Zelensky insiste que a indecisão sobre adesão da Ucrânia à NATO dá à Rússia "motivação para continuar o seu terror".

A+ / A-

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, voltou a fazer pressão junto da NATO e criticou, esta terça-feira, os países da Aliança Atlântica por evitar definir um caminho para a adesão de Kiev.

De acordo com o jornal Politico, que cita um diplomata na NATO, o mais recente rascunho de comunicado final da cimeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte declara que os países estarão “em posição de convidar a Ucrânia quando os aliados concordarem e forem cumpridas as condições”.

A linguagem do comunicado ainda não está finalizada, porém o rascunho foi o suficiente para provocar uma reação furiosa de Zelensky.

Numa mensagem publicada no Telegram e no Twitter, o Presidente ucraniano disse que a possibilidade de a Ucrânia não receber o convite para integrar a NATO constitui algo “absurdo”, e criticou a indecisão dos aliados.

“É sem precedentes e absurdo que não seja definido um prazo nem para o convite nem para a adesão da Ucrânia [à NATO]. Em vez disso, algumas palavras vagas sobre 'condições' são adicionadas até mesmo para convidar a Ucrânia", escreveu Volodymyr Zelensky.

O chefe de Estado da Ucrânia declarou que “parece que não há disposição para convidar a Ucrânia para a NATO ou para torná-la membro da Aliança”, acrescentando que “a Ucrânia também merece respeito”.

Zelensky insiste que a indecisão sobre a entrada da Ucrânia para a NATO dá à Rússia "motivação para continuar o seu terror", já que “incerteza é fraqueza”, e afirmou que vai discutir o assunto “abertamente” na cimeira de Vilnius.

Apenas momentos depois da mensagem de Zelensky ter sido publicada, o Presidente dos Estados Unidos anunciou que os membros da Aliança “concordaram com a linguagem” em relação à futura adesão da Ucrânia.

“Concordamos com a linguagem em relação à futura adesão da Ucrânia na NATO. Estamos à procura de uma NATO unida e firme”, disse Biden durante uma conferência de imprensa em Vilnius ao lado do secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

Os aliados da NATO estão à procura de um compromisso que dê à Ucrânia um sinal claro de que se está a aproximar da aliança e, em simultâneo, que acalme os receios dos Estados Unidos da América e da Alemanha, que se mostram hesitantes em prometer agora que haveria uma adesão automática no fim do conflito com a Rússia.

Os 31 Estados-membros pretendem, por outro lado, reforçar, na cimeira que decorre em Vilnius esta terça e quarta-feira, a ideia de apoio a Kiev, e devem fortalecer a ajuda militar e trabalhar na questão da aproximação da Ucrânia à NATO, mas sem que isso signifique uma adesão imediata.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    11 jul, 2023 Lisboa 14:58
    Adesão imediata não pode haver - isso significaria a declaração imediata de guerra à Rússia. Mas podiam e deviam ter feito o convite desde já, mantendo que a adesão só se verificaria depois da Guerra e depois de verificadas as condições essenciais. A Ucrânia seria um parceiro muito importante para a NATO, aliás basta ver a torrente de ameaças de cabeça perdida do Peskov e outros Ivans, que percebem que com isso a ideia de esfera russa de "Lisboa a Vladivostok" está enterrada definitivamente e que depois do fiasco que foi a conquista e ocupação da Ucrânia que trouxe à tona que o "invencível exército rolo-compressor russo" é um tigre de papel capacitado só para lutar contra civis e desarmados, as ameaças russas são encaradas ou com um sorriso ou com um bocejo.

Destaques V+