Tempo
|
A+ / A-

Partygate. Boris Johnson enganou deliberadamente o Parlamento britânico

15 jun, 2023 - 10:01 • Daniela Espírito Santo

Festas durante confinamento foram violação severa e justificavam suspensão de 90 dias, revela relatório.

A+ / A-

O ex-primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, enganou deliberadamente o Parlamento sobre as festas que aconteceram durante o confinamento, revela a investigação ao chamado "PartyGate".

Segundo avança a imprensa do Reino Unido, o relatório da Comissão de Privilégios da Câmara dos Comuns britânica confirmou que Boris Johnson violou de forma severa as regras e deveria ter sido suspenso do Parlamento por 90 dias.

No entanto, Boris Johnson já não faz parte do Parlamento desde dia 9, sexta-feira, altura em que decidiu renunciar ao cargo que ocupava, pelo que esta decisão é apenas simbólica.

Apesar disso, a decisão é grave, especialmente se recordarmos que bastava uma suspensão de apenas dez dias para desencadear uma eleição suplementar.

"É tudo uma "charada", diz Boris Johnson

O antigo primeiro-ministro britânico já reagiu ao relatório e garante que tudo não passa de uma "charada". Em comunicado, citado pela BBC, Johnson diz que a comissão que o avaliou "deturpou a verdade" e funciona "de uma forma anti-democrática".

Para Boris, trata-se "da facada final no assassinato político" que foi orquestrado contra si, pelo que, para o político, este é um "dia negro para a democracia".

"Quem decide quem se senta neste Parlamento é o povo deste país, não Harriet Harman", remata, falando diretamente da coordenadora da comissão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+